Menu

domingo, 20 de setembro de 2020

Oswaldo Oleari: agora, os ladrões do mensalão do PSDB Mineiro, do deputado Eduardo Azeredo, e os de Brasília, do Zé Robauto Arrouba

Muito bem, muito bom.

A quadrilha dos ladrões, ou supostos ladrões, do PT está enjaulada, em princípio.

Com todas as fanfarronices a que têm direito os Zé Jesuíno, os Dilúvio, os Zé Dirceu e outros operadores das maracutaias da tal governabilidade.

A ladroeira institucionalizada. Que não é nova, ninquém é tão idiota assim pra não saber que não é nova.

Vem sendo praticada ao longa da vida da capenga Ré Pública, passando por todas, as véia, as do mei e ás mais novas, incluindo a Nova República do ladino Sr. Tancredo Neves.

A rigor, desde os áureos tempos de D. João Sexto, que, de cara, “ganhou” para morar a Quinta da Boa Vista de um rico empresário traficante de escravos, entroutras maracutaias, tão sabenu?

Dotô Tancredo, que, por uma diverticulite jamais bem explicada, entregou o Banco de Sangue pro Vampiro Sarneiroussauru Sapiens, da quadrilha do Maranhão.

Pois Dotô Tancredo inventô de adoecê justo na horinha de tomar posse do que lhe tocava do imenso latifúndio, que ele ajudou a sobreviver ao longo de sua brilhane carreira política, hábil negociador, hábil contemporizador, hábil administrador de contrários politicamente falando.

E – por que não? – hábil cultor do Poder com o qual o inteligente Tancredo conviveu nas mais diversas, adversas, contrárias ou favoráveis circunstâncias.

Bem, mas agora vamuquivamu pruquê tamuquitamu.

O novo herói da Ré Pública – estamos precisando sempre de um herói pra justificar a nossa panaquice, a nossa inguinorança e a nossa acomodação, seja um branquelim, um neguim, um pardim ou um mulatim – o sábio Doutor Joaquim Barbosa carece agora de fuçar os arquivos empoeirados da Justiça, das Promotorias, das Procuradorias iuiscambau a quatro pra botar na pauta outro pepino gigantesco.

Trata-se da roubalheira, ou suposta roubalheira, da campanha do deputado Eduardo Azeredo (PSDB, foto) ao Governo das Minas Gerais, por uma puta coincidência também operada pelo publicitário Marcos Valério de Andrade e sua quadrilha.

Já passou da hora, na verdade. De qualquer forma está na hora de tirar o esqueleto do PSDB mineiro do armário.

Via de regra (*)nesse cenário de ladroeira desbragada, os políticos de cada partido consideram que os ladrões dos outros partidos são mais ladrões do que os do seu partido.

Os quistão enjaulados agora querem a companhia dos ladrões do PSDB e talvez eles até façam um pacto de governabilidade na cadeia e tramem como roubar mais após cumpridas as suas penas.

Suaves, leves penas, aliás, porque tá todo mundo com o burro na sombra, endinheirado, vivendo bem, morando bem, comendo bem, bebendo bem.

Degustando vinhos caríssimos em restaurantes de grife da paulicéia desvairada, da sede da Ilha da Fantasia, do Ridijaneru a dezembro, pra não se falar nos finos restaurantes das istranja.

Mas, falta também mandar pra cadeia os ladrões da quadrilha do Doutor Zé Robauto Arrouba, do PFL/DEM.

Na foto em campanha para o governo da sede da Ilha da Fantasia, ao lado do seu aliado, o Doutor Lulácio da Silva Honoris Causa e de Dona Mariza. A foto foi trabalhada pelo trio saudoso do Niu Inhoke Taimis, Manoel Manhães, Roney Morares e Valerio Depollo.

Julgar antes, é claro, porque qualquer macaco que não deu certo (*) tem direito a um dotô adevogado.

Como estão aí os diletos amigos advogados José Coco Fontan, Andra Valadares, Flávia Miranda Oleare, Cacá Antolini, Geraldo Simões, para não me deixar elaborar em equívoco, como diria o saudoso Stanislaw Ponte Preta.

Ou seja, são ladrões para todos os gostos, partidos, religiões, tribos.

Ano de 2014 vai ser durabu: Copa do Mundo (outro gigantesco manancial de roubalheiras), julgamento do mensalão do PSDB mineiro e julgamento do mensalão de Zé Robauto Arrouba e sua quadrilha.

Ahhhh, gentem, a Grobonius vai ficar no ar 48 horass por dia, oceisvãovê (Oswaldo Oleari).

(*) Via de regra – segundo o jornalista e escritor, coladorador deste intrépido Portal DOPC, Claudio Lachini, “via de regra é a vagina”.

(*) macaco que não deu certo – frase do sábio Millôr Fernandes, um dos nossos 84 gurus:
– O homem é um macaco que não deu certo.

Nota: quem quiser comentar, dar seu pitaco, isculhambá, fique à vontade. Mas, por favor, assinem o que escreverem. Contra, a favor, antes pelo contrário. “Sem poblema”, quinemqui diz a deputado Solange Lube, aqui não tem censura.

Comentários