Menu

segunda, 23 de abril de 2018

Apagão na sala de Imprensa da Assembleia Legislativa do Espírito Santo

Funcionários “trancam” o expediente na Assembleia Legislativa do ES para comemorar um “chá de bebê”. Veja a última nota.

Sala de imprensa
A sala de imprensa da Assembleia Legislativa do ES está cada dia mais escura. Jornalistas e assessores reclamam que qualquer dia desses vão ter que levar uma vela, ou – quem sabe? – um lampião a gás já que na sala algumas luzes não acendem já há um bom tempo.

Cardápio do primeiro dia no restaurante da AL/ES
Iscas de fígado acebolado, coxa e sobrecoxa de frango e moqueca capixaba – foi o cardápio do primeiro dia no restaurante da Assembleia Legislativa do ES.

Os deputados José Esmeraldo, Freitas, Roberto Carlos (foto) e Pastor Marcus Mansur almoçaram no novo estabelecimento. Sobre o cardápio, nada comentaram, mas são “bons de garfo”, segundo atento observador.

Segundo eles e outros frequentadores, grande problema do restaurante foram as filas intermináveis que se formaram para pagamento da conta.

Formaram-se três filas: uma para cartão de crédito, outra para cartão Vale Mais (tiquet da AL/ES) e outra para pagamento em dinheiro.

Parecia um formigueiro, comentou alguém na fila. E completou:
– “ainda bem que o povo já estava com a barriguinha cheia, senão poderia dar até briga”

Homenagem ao cinegrafista
A única a mencionar a violência que atingiu o cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, da Rede Bandeirantes de Televisão, foi a deputada Janete de Sá.

Ela falou sobre a importância dos jornalistas na sociedade, disse que os profissionais da imprensa, como bem disse Rui Barbosa, são os olhos de um povo, e que o ataque com o rojão que culminou com a morte do cinegrafista é uma violência, um atentado à democracia e à liberdade de expressão.

Janete disse que as autoridades precisam estar de olho, já que a Copa pode provocar outros movimentos e a sociedade está cansada de tanta violência.

A deputada falou sobre a importância de a polícia coibir essas ações dos vândalos, para que essas manifestações que são legítimas possam acontecer de forma ordeira e pacífica.

Deputado Marcelo Santos se fez “de desentendido”
Os deputados estaduais podem se inscrever até meia hora antes do início da sessão para participar da fase das comunicações, que reserva 5 minutos para cada deputado.

No entanto, parece que o deputado Marcelo Santos chegou atrasado e, por isso, pediu um aparte ao deputado Jamir Malini, que concedeu e acabou ficando apenas com 2 minutos de fala.

Não satisfeito, como alguns deputados abriram mão de sua vez, o deputado Marcelo Santos, mais uma vez foi à tribuna para repetir o mesmo assunto do aparte longo concedido pelo deputado Jamir Malini:
– será que o ES tem infraestrutura para suportar os turistas que virão ao Estado por conta da copa do mundo? insistiu o desavisado e repetitivo deputado Marcelo Santos.

A Assembleia “é uma mãe”
Nesta sexta-feira, por volta das 14 horas (ou seja, em pleno horário de expediente) uma turma de funcionários se reuniu para comemorar e fazer um chá de bebê, com direito a bolo, docinhos, refrigerantes, presentes e bolas de soprar.

Faltou só a cerveja.

A pergunta que faziam alguns era a seguinte: será que ao realizar a festinha, os trabalhos ficaram parados (engavetados) para que os funcionários pudessem participar?

Alguns setores chegaram a fechar as portas para que seus funcionários pudessem participar da brincadeira.

A Assembleia é mesmo uma mãe, não acham?

Totonho Rodrigues é jornalista

Comentários