Menu

quinta, 20 de setembro de 2018

Gideão Svensson cria Frente Parlamentar Evangélica na Cãmara da Serra/ES

Da redação do Portal DOPC recebi um realize com o conteúdo que se segue e a incumbência de fazer uma avaliação. 

Ordem dada, vou tentar cumprir. Como a pauta veio acrescida de um “sem censura, dê sua opinião de profissional experiente e analista político sem restrições”, comento conforme o determinado pelo nosso Diretor de Conteúdo, Rubens Pontes.

A bancada vai discutir propostas voltadas para o “público evangélico e promover maior interação entre o Legislativo e a comunidade”, diz a nota.

O informe acrescenta que o Projeto de Resolução 21/2013, que cria a Frente Parlamentar Evangélica (FPE), foi proposto pelo vereador Gideão Svensson (PR), foto,   “e tem como objetivo orientar e encaminhar as propostas voltadas ao público evangélico, bem como buscar o desenvolvimento social, cultural e religioso em ações conjuntas com o meio evangélico”.

Pérola é o argumento do vereador Gideão Svensson para justificar a criação de tal bancada. Vejam só a preciosidade:

– “Essa bancada é para defender e apresentar projetos e matérias parlamentares voltados para a preservação dos conceitos morais e éticos da sociedade, além de interagir com o segmento evangélico com ações e projetos para esse objetivo“, afirmou o vereador.

Svensson diz que uma das finalidades dessa Frente “é defender a integridade e respeito à família como célula fundamental da sociedade, adotar medidas e implementar ações voltadas para a moralização da política”.

A proposa do vereador não para aí, quer mais:

– “A bancada também vai lutar contra a corrupção e pelo desenvolvimento de atos públicos eficazes, programas e ações que fomentem a difusão cristã no município de Serra”.

– Gideão completa:

–  A Frente vai acompanhar, fiscalizar e buscar mecanismos para que os anseios do público evangélico sejam contemplados pela Câmara Municipal, que não pode ignorar a responsabilidade com esse segmento da sociedade que visivelmente se expande a cada dia em toda a nossa cidade“, explicou Gideão.

O comentário do colunista
Totonho Rodrigues

Como profissional que atua há anos na área do jornalismo político, já vi de tudo em câmaras municipais.
Vereadores pobres de conteúdo, propostas ridículas, inconstitucionais, oportunistas, e alguns horrores.

O vereador Gideão Svensson me fez lembrar o velho Plínio Salgado e sua Ação Integralista quando fala em
“defender a integridade e respeito à família como célula fundamental da sociedade”.

A proposta é divisionista e fere os preceitos constitucionais porque vivemos supostamente num país laico, onde religiões não se misturam com assuntos de Estado.

Como imaginar que uma Câmara Municipal se dedique a formular ações destinadas a um segmento religioso específico, no caso, o evangélico?

Gideão precisa rever seus conceitos e aprender que a Câmara constitucionalmente deve operar em favor de toda a sociedade, formada por segmentos sociais, religiosos, econômicos e políticos diversificados.

Logo, o que propõe Gideão beira à ilegalidade, à subversão dos regimentos democráticos e constitucionais vigentes. A proposta é claramente uma jogada para a sua platéia.

Se a Câmara da Serra fosse  uma entidade séria, responsável, e se tivessem suas excelências consultado uma assessoria jurídica responsável, não “votariam por unanimidade” uma proposição dessa natureza. O radicalismo, o sectarismo e a ignorância são um desserviço à democracia e ao País (Totonho Rodrigues).

Com informações de Milena Souza Cogo, assessora de Imprensa.

Comentários