Menu

domingo, 15 de dezembro de 2019

Poesia todo dia: Atemporal Nova Mente – Cecitonio Coelho

 




Atemporal Nova Mente 











Entre espreguiçar-se e sentir preguiça
Há reação no corpo quase inerte refletindo a um estímulo
Na relação da mente sã e demente
Ao sair-se do descaso, descansa em repouso

Descalço no encalço de sua origem
Determinado a adormecer no atropelo do acaso
Deixando a quem buscar no encontro
Destreza do saber rebuscado

Se o bem de prosseguir te encoraja
O mal de perseguir te atormenta
Sejamos bons e realmente sensatos
Para que nada nos convença do contrário

Encorajamento ao corrigir no enfrentamento                 
Quando nos é permitido errar
Perdoar-se é o princípio
Vencer é o limite

A tempo de desvencilhar-se dessa inquietação
A teimosia atraindo todos os sentidos
A tempestade se desvencilhando
Atemporal nova mente

Cecitonio Coelho

A iustração é de Luís Gregório Gruber Novaes Correia (Santos, São Paulo, 1951). Pintor, gravador, escultor, cenógrafo e fotógrafo.

Pitaco do Oleari:

Confesso minha incapacidade para ilustrar a poesia do Cecitônio. Pedi socorro ao prezado parceiro Rubens Pontes, meu mestre e meu suporte intelectual, e dependendo da opinião dele altero a ilustração, de um artista consagrado.

Comentários