Menu

tera, 16 de outubro de 2018

Poesia todo dia – Eglair Carvalho: Solidão (ou: Não, não é amor)

Eglair Carvalho












Solidão

NÃO, NÃO É AMOR,
NÃO É DESEJO,
NÃO É MISTÉRIO,
NEM ADULTÉRIO,
MAS É SÉRIO
O QUE ME CONSOME
E SE ESPALHA NA MINHA CAMA FRIA.
ENTÃO, PERCO A CALMA
E DEIXO A SALA
E VOU PRA RUA
NA LOUCA PROCURA
SOB A ROUCA AMARGURA
DO GRITO ENGOLIDO
À TAPAS PELA DESILUSÃO.
NÃO, NÃO É AMOR
NÃO É DESEJO
NÃO É MISTÉRIO,
NEM ADULTÉRIO.
NÃO É DOENÇA
E NEM DEMÊNCIA,
O NOME DISSO,
É SOLIDÃO

Nota da redação:

Reprodução sem consulta ao autor. Recolhido no maledeto feissibuqui. 

Comentários