Menu

quarta, 18 de outubro de 2017

Diagonal: baterista Paulo Almeida em musical no Quiosque 3, na orla de Camburi; uma do Sidnei Basile; uma do poeta Hudson Ribeiro

Diagonal,
coluna do Oleari


2 – Africanta: Ser Negro


3 – A imprensa e o Estado

4 – Pitaco do Oleari


Enviado por Pedro Henrique Gomes Oleare

Figura muito atuante na cena instrumental de São Paulo, o baterista, percurssionista e compositor de São Carlos(SP) tem no currículo trabalhos com Arismar do Espirito Santo, Vinicius Dorin, Trio Macaíba, Fabio Gouvea e outros importantes nomes da música brasileira.

Nesta terça feira, dia 15/12, no Quiosque número 3 da orla de Camburi, Av.Dante Michelini (na altura do Clube dos Oficiais, Jardim da Penha, Vitória/ES). 

A partir das 20 horas
Couvert: 6 reais

Pedro Oleari é guitarrista e toca às terças e quintas no Quiosque 3.

Africanta: Ser Negro

O professor, poeta, escritor Hudson Ribeiro lança seu livro dia 23 de dezembro, uma quarta-feira, a partir das 19 horas. Será no Bimbo, Calçadão da Rua Sete, centro velho de Vitória/ES




Serviço:

AFRICANTA: SER NEGRO
Hudson ribeiro (Ed. Do Autor), 2015.
Poesia brasileira. Racismo.
Formato fechado: 14,5x21cm.
102 páginas.
Miolo: 1/1 cores, papel pólen soft 90gm.
Capa: 4/0 cores, papel supremo 300gm, com orelhas de 8cm.
Acabamento: Cola quente, plastificação fosca, costurado.
Preço de capa: R$ 35,00
Valor no lançamento: R$ 20,00
Iluistrações: Hudson Ribeiro
Revisão: Maria Alice Pimenta hübner
Projeto Gráfico, Diagramação e Capa: Anaise Perrone
Apresentação: Sandra Leandro
Prefácio: Miriam Cardoso
23 de dezembro, quarta-feira, a partir das 19 horas.

Bimbo, Calçadão da Rua Sete, centro velho de Vitória/ES

A imprensa e o Estado



“Não é o Estado que fiscaliza a imprensa, é a imprensa que fiscaliza o Estado”. 

Jornalista Sidnei Basile



Uma anotação dedicada aos ditadoreszinhos de plantão, que querem jornais fechados, televisões lacradas, rádios caladas, inferneti controlada. 

O jornalista Sidnei Basile foi um nome respeitado no cenário do jornalismo econômico de São Paulo.



Pitaco do Oleari


Tive o privilégio de conhecê-lo niquiqui trabalhava na Publicações Executivas Brasileiras, associada de uma empresa editorial mexicana, onde trabalhavam também nomes importantes da imprensa da pauliceia desvairada, como o prezado Claudio Lachini, o Roberto Muller Filho, o Celso Ming, entroutras.

A Publicações Executivas Brasileiras era comandada pelo Francisco Crestana, um executivo dinâmico que, com pequena equipe, criou uma revista chamada Varejão Supermercados – havia o segento Varejão Farmácia – com quem aprendi alguma coisinha, principalmente a ter agilidade, que competia, pau a pau, com a revista Varejo (salvo engano dos chipis meus), da poderosa Editora Abril.

Lembro-me bem – itaí meu caríssimo Claudio Lachini pranum midexá mentir sozim kkkkkkk – que num congresso nacional da Associação Brasileira de Supermercados, realizada no Clube Pinheiros (*), em sampa, a nossa Varejão Supermercados deu um banho na revista da Editora Abril, saindo completinha com cobertura total pelo menos uns 15 dias antes da concorrente. 

A cobertura completa foi produzida por dois caras: o Claudio Lachini e o digitador desta linha qui, ó! Não é preciso dizer que bebericamos todas as batidas dos burtecos da Rua Marconi, onde funcionavam as redações da editora Publicações Brasileiras (Oswaldo Oleari).

(*) Foi niquicando eu “frequentei” o seleto Clube Pinheiros kkkkkk…

Comentários