Menu

segunda, 20 de novembro de 2017

22º Festival de Cinema Itinerante circula em Itaúnas, Ilha de Guriri e Regência, Norte do ES



Depois de passar pelos municípios de Anchieta e Guarapari, litoral Sul do Espírito Santo, o 22º Festival de Cinema de Vitória Itinerante – Rota Verão nesta terça-feira (26/1) estará em Vila de Itaúnas, em Conceição da Barra, Norte do Espírito Santo. 

O filme da programação é o longa-metragem “Vou Rifar Meu Coração” de Ana Rieper, documentário afetuoso e bem humorado sobre a música brega brasileira.

Nesta semana, terão exibições do Festival na Ilha de Guriri, em São Mateus, na sexta-feira (29/1), e na Vila de Regência, em Linhares, no domingo (31/1), também Norte do ES.

Todas as sessões são gratuitas e contam o ator e modelo Igor Marchesi como apresentador. Após o filme, o público ainda participa do sorteio de bicicletas e brindes.


As sessões do 22º Festival de Cinema de Vitória Itinerante – Rota Verão recriam uma sala de cinema com equipamento de projeção e de som adequados e acontecem em algumas localidades que não dispõem de cinema. Isso faz com que as exibições isejam surpreendentes e emocionantes, pois, para alguns espectadores, essa é a primeira vez em que assistem a um filme na telona. 


Edição do ano passado, em Manguinhos, Serra/ES



Por se tratar de um evento cultural acessível a uma faixa etária ampla, as exibições são uma atividade vivenciada por toda a comunidade. 

Além de ser um excelente lazer cultural, essa iniciativa ainda contribui com a formação de plateias e promove o acesso democrático ao cinema nacional.

Filme da programação

O longa-metragem “Vou Rifar Meu Coração” faz uma viagem ao imaginário romântico e afetivo brasileiro a partir da obra dos principais nomes da música popular romântica, também conhecida como brega. 

O filme apresenta pessoas comuns que abrem seus corações e contam suas histórias e também com depoimentos de Agnaldo Timóteo, Wando, Amado Batista (foto), Lindomar Castilho, Nelson Ned, Walter de Afogados e de Rodrigo Mell, este último é representante da nova geração do brega.

“Esses artistas cantam lindamente, as músicas emocionam e se comunicam demais com um público enorme. São verdadeiros clássicos da canção brasileira. São artistas muito populares, com uma audiência muito estabelecida até hoje, que têm sua arte lastreada pelo gosto popular, atravessando pelo menos três décadas com grande sucesso”, conta a diretora Ana Rieper.

Ana Rieper é documentarista e diretora de TV há cerca de 10 anos. Tem formação nas áreas de Cinema, Antropologia e Geografia. Tem caracterizado sua trajetória pela realização de filmes que buscam entender a cultura popular brasileira e a história dos costumes a partir da intimidade e da vida cotidiana. Atua também como diretora de filmes institucionais nas áreas de Meio Ambiente, Arqueologia e projetos ligados a movimentos sociais.

O 22° Festival de Cinema de Vitória Cine Itinerante é uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), e conta com o patrocínio do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, do Governo Federal, da Petrobras, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Rede Gazeta. 


Uma das sessões 
deste ano


22° Festival de Cinema de Vitória Itinerante
ROTA VERÃO

26 jan (Terça-Feira) – Vila de Itaúnas – Conceição da Barra
Horário: 20 horas
Local: Em frente à Igreja de São Sebastião

29 jan (Sexta-Feira) – Guriri – São Mateus
Horário: 20 horas
Local: Praça de Guriri / Av. Oceano Atlântico

31 jan (Domingo) – Vila de Regência – Linhares
Horário: 20 horas
Local: Praça Caboclo Bernardo

IMPORTANTE: todas as sessões são gratuitas!

Vou Rifar Meu Coração (Documentário / 78 minutos / 2012 / Brasil), de Ana Rieper.

Sinopse: o filme é um convite para que embarquemos numa viagem sobre imaginário romântico e afetivo brasileiro a partir dos principais nomes da música popular romântica, também conhecida como brega. Letras de músicas de artistas como Odair José, Agnaldo Timóteo, Waldick Soriano, Evaldo Braga, Nelson Ned, Amado Batista e Wando, entre outros, formam verdadeiras crônicas dos dramas da vida a dois. No documentário, os temas das músicas se relacionam com as histórias da vida amorosa de pessoas comuns, enfrentando o desafio de falar sobre a intimidade de pessoas reais, em situações reais.

Enviado por Danielle Ewald

Comentários