Menu

tera, 21 de novembro de 2017

Cineclube São Jorge exibe o documentário “Olho de Gato Perdido”

O diretor Vitor Graize estará presente

O Cineclube São Jorge realiza mais uma etapa do projeto “Sessões Capixabas” na próxima terça-feira (28), às 14 horas, exibindo o documentário “Olho de Gato Perdido”, do diretor Vitor Graize. 

Após a projeção do filme, o diretor Vitor Graize participa de um bate-papo com o público. O Cineclube São Jorge funciona na Galpão Produções, no Bairro República, em Vitória/ES. A entrada é franca.

Uma janela para o audiovisual, Sessões Capixabas buscam dar visibilidade ao cinema produzido no ES, além de contribuir para promover a aproximação entre o público e os realizadores.
São uma realização do Cineclube São Jorge, espaço de exibição mantido pela Galpão Produções e pelo Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

Sobre Vitor Graize
Mineiro de Manhuaçu, Vitor Graize é jornalista formado pela Universidade Federal do Espírito Santo. Durante sua graduação, fez parte dos projetos Cine Falcatrua e Grupo de Estudos Audiovisuais (Grav). Já realizou os curtas “Compre na Mercearia da Esquina” (2005), ficção em co-direção com Vitor Lopes, e “Transversal” (2006), documentário em co-direção com Priscilla Thompson e Paulo Gois.

Em 2009, Graize lançou o média-metragem “Olho de Gato Perdido”, documentário que remonta o lendário filme de faroeste “Olho de Gato”, dirigido pelo relojoeiro Ailton Claudino de Barros e protagonizado pelo lavrador José Augusto Damaceno e pelo soldado e amante de cinema Luiz Carlos Betencurte, rodado em 1975 na cidade de Pancas, no noroeste capixaba.

“Olho de Gato Perdido” lembra a história da produção do longa que mobilizou moradores da cidade e hoje permanece apenas na memória daqueles que participaram do projeto. Além de exibir trechos recuperados da obra, o documentário faz uma fusão com imagens atuais, com os atores repetindo cenas do filme original e realiza a busca pelo rolo original do filme através de dois caminhos: um material, que segue as pistas da localização da única cópia do filme; o outro caminho é imaterial, através das memórias daqueles que dele participaram.

Em 2011, Vitor Graize, em co-direção com Rodrigo de Oliveira, estreou o longa-metragem ficcional “As Horas Vulgares”. Em 2014, o diretor lançou o documentárío “Vitória F.C.”, curta co-dirigido por Igor Pontini. Atualmente, Graize está finalizando seu mais recente trabalho para o cinema: o curta-metragem de ficção “Hotel Cidade Alta”.

Vitor Graize já foi repórter do Caderno 2 do jornal A Gazeta, fez parte de pré-seleção e de premiação do Festival de Cinema de Vitória, é o atual programador do Cine Metrópolis, na Universidade Federal do Espírito Santo, e é sócio fundador da produtora Pique-Bandeira Filmes.

Serviço:
Sessões Capixabas com o diretor Vitor Graize
Dia: 28 de junho de 2016 (terça-feira)
Horário: 14 horas
Local: Cineclube São Jorge – Rua Professora Maria Cândida, nº 115 – Bairro República – Vitória/ES

Filme da programação:
Olho de Gato Perdido (Documentário, 52 minutos, 2009)

ENTRADA FRANCA!

Comentários