Menu

quarta, 13 de dezembro de 2017

Rubens Pontes: amigo mineiro manda texto que revela suspeitas de relações de Lula líder sindical com a CIA e de ser “cria” do General Golbery

Rubens Pontes, me envia: – “Troca de correspondência com um amigo mineiro. Abrir anexo. R”.

O papo esticou a partir da coluna Diagonal e a curta anotação que fiz sobre frase do Padre Antonio Vieira, ao repartilhar o linki no maledeto feissibuqui: 


– Como disse o Padre Antonio vieira, lá pelos idos de 1600 e antigamente, “no Brasil, todos conjugam o verbo roubar em todos os tempos”…

A coluna Diagonal – Rombo Bolsa Família: R$ 100 milhões – Contauto afaga os sem garantia – Swarovski, nova coleção – Jorge Bischoff, 5 anos / Diagonal, coluna do oleari

Os comentários

Comentários
Paulo Da Costa – Por favor, Oleari, inclua-me fora desta. Eu não roubo e nunca roubei nada. Quando ao feiticeiro, com o pomposo título de Padre, é bem sabido que todo este pessoal do comércio religioso sempre roubou de tudo. A vinda deles para cá foi apenas para se dar bem e, a História demonstra, se deram muito bem. Paulo Da Costa
Rubens Pontes – Quem sabe Tião Martins, estudioso dos fenômenos que marcaram a evolução, às vezes involução, da atividade política brasileira poderá me ajudar a desvendar o que para mim continua sendo um mistério: o ex-presidente Lula, se firmando como líder operário no ABC paulista no ano de 1973, engajado no processo de resistência à ditadura militar, viajou para os Estados Unidos, onde realizou um curso de liderança sindical na AFL-CIO, entidade que tem como um dos diretores George Meany, agente da Divisão de Organização Internacional da CIA. A AFL-CIO, financiada pela CIA, investiu no Brasil, entre 1963 e 1978, 7 milhões de dólares, parte deles em viagens de “intercâmbio” aos Estados Unidos. 

Dizem que teve nisso o dedo do general Golbery do Couto e Silva, homem forte do presidente Ernesto Geisel, envolvido no processo de distensão. Será? Mario Garnero, presidente da ANVISA, e a jornalista Dora Kramer, já escreveram livro e matéria sobre esse instigante assunto. Golbery teria “criado” Lula para se antepor a Leonel Brizola. E você, Tião Martins? O que diz? 

Paulo Da Costa – Definitivamente, tem Mandrake nesta história. Eu nunca tinha atinado para este curso de liderança sindical do Lula patrocinado pela Cia. A Cia é uma organização terrorista que não dá ponto sem nó; outro que não dá ponto sem nó é o lula. Vai daí que tem mágica nesta história, tem Golbery, tem muita sujeira debaixo deste tapete já por si só imundo. Paulo Da Costa

Oswaldo Oleari Ou Oleare – Paulo Da Costa, meu caro, sim, sim, mas o Padre Antonio Vieira ainda não sabia docê, do Rubens Pontes e do amigo do Rubens, Tião Martins, quinun é ainda meu amigo feissibuquiano. Ele mandou um textim por Rubens Pontes, que está aí embaixo. Vou juntar tudo e esticar o papo.

Paulo Da Costa – Obrigado por me incluir em companhias tão sérias e cultas. Dê meu grande abraço a esta turma da pesada. Saudações, Paulo da Costa.

Lula teria feito cursos da CIA e sempre se suspeitou de que fosse informante pago, mesmo caso do Cabo Anselmo

O texto do bilhetimeil do amigo mineiro do Rubens Pontes.

– Boa tarde, Doutor Rubis.
Escrevi algumas coisa que sei e outras que ouvi. Estão em anexo”.

– Meu caro Rubens,

Na época à qual você se refere, o Departamento de Estado norte-americano cumpriu, realmente, as diretrizes de uma ampla conquista de simpatia e apoio entre personalidades brasileiras (dirigentes sindicais, líderes estudantis, escritores, políticos).

Homens e mulheres eram recebidos como gente importante, ouviam palestras e conferências e trocavam ideais sobre o futuro com políticos norte-americanos mais inteligentes.

Sei que pelo menos um desses grupos passou um domingo inteiro na casa do Bob Kennedy, que ofereceu aos brasileirinhos aqueles churrascos horrorosos que os americanos aprendem a fazer desde criancinha, com os pais.

Se o Lula foi e aprendeu alguma coisa por lá eu não posso garantir, mas que são suspeitas as suas relações com a turma do golpe militar é quase uma certeza, assim como leva a crer que ele vem acumulando dinheiro há muitos anos.

Não é de agora. Ele chegou a ser proprietário de uma daquelas mansões elegantes de São Paulo, nos Jardins. Mas não estava em nome dele. Sempre usou um cara-de-pau qualquer. Nada mais natural que as recentes aquisições do apartamento na praia e o sítio que diz ser do amigo.

Contam as boas e as más línguas que ele tem obsessão por adquirir imóveis, para compensar os anos de pobreza que viveu. Mas esconde que é proprietário. Nada muito diferente de outros grandes líderes brasileiros, não é verdade?

Além disso, afirmam que ele difundiu em São Paulo o boato de que teria sido preso pelos militares e policiais da repressão, mas as más línguas garantem que era informante pago, como aquele infeliz marinheiro que entregou à repressão os seus companheiros, o Cabo Anselmo.

Não posso afirmar e nem garantir, mas as incansáveis línguas repetem sempre essa trajetória do nosso grande líder.
Sem falar do assassinato do prefeito Celso Daniel, assunto que foi sepultado por muito tempo e agora tem sido explorado por adversários.

Nada mais ouvi e nem me foi perguntado.

Que ele é espertíssimo e não respeita limites e dogmas, eu sei. Certa vez, fizemos uma entrevista jornalística com ele, em um botequim na BR. Tomamos pingas e o cara se abriu inteiro, para dizer que não há e nem deve haver limites na luta política em defesa do povo. Vale tudo, como na guerra.

– “Se os meus filhos estão passando fome, eu arrebento a porta do supermercado e levo comida pra casa. É um direito dos pobres. E vale tudo, nessa luta”. 

Na época, estavam acontecendo invasões de supermercados em vários Estados e veio daí o estímulo para a declaração de guerra.

Esse é o cidadão que conheci, ainda como líder sindical. Não devemos nos surpreender com o que ele diz e faz hoje. Não mudou nada. Bobo ele não é, posso te garantir, embora esteja hoje mais velho, talvez mais cuidadoso.

Um abraço do seu amigo e leitor,
T.



Rubens Pontes 
é jornalista

Seu “amio e leitor”,
T, também é joralista.

Comentários