Menu

segunda, 20 de novembro de 2017

Matias Brotas leva time artístico de peso para a Casa Cor ES


Muito além de decoração, a CASA COR ES também é oportunidade de ver arte, não só como adorno, mas como peça fundamental em diversos ambientes. 

Por Danielle Ewald

A galeria realiza a curadoria de quatro ambientes que juntos reúnem uma seleção de diversos suportes artísticos, de pinturas a esculturas, fotografias, além de percorrer diferentes gerações da arte, dos anos 70 aos novos artistas do século 21

Nesta edição do evento, a Matias Brotas arte contemporânea realiza a curadoria de quatro ambientes e leva diferentes suportes artísticos, da pintura à escultura, fotografia. 
Uma seleção rigorosa em parceria com os arquitetos Leticia Finamore, Zilda Helal, kássio Fontoura e Marcela Grasselli e Sergio Caus.

Portugal no mundo de Antonio Bokel
(Foto: Gabriel Lordêllo)


Manfredo de Souzanetto, José Bechara, Nuno Ramos, Amilcar de castro, Shirley Paes Leme, Antonio Bokel, Lara Felipe, Vilar, Raphael Bianco, Andrea Brown, Mai-Britt Wolthers, Vanderlei Lopes, são apenas alguns nomes que fazem parte da seleção proposta pela galeria. Artistas consagrados da geração 70 aos novos talentos da arte contemporânea. 

Segundo a galerista Lara Brotas, os arquitetos se mostram com um olhar cada vez mais refinado para a arte contemporânea, e o papel de curadoria é justamente apresentar a esses profissionais como vai essa produção artística atual e de certa forma contribuir para que essa arte se aproxime ainda mais do público capixaba.

– “A partir da próxima semana, quando no dia 28 a Casa Cor ES abre ao público, os capixabas terão a oportunidade de ver esse time artístico de peso, e, inclusive, algumas obras inéditas nunca antes apresentadas em exposição ou que fazem parte de uma coleção particular”, explica Lara Brotas.

A “Casa de Praia”, da arquiteta Letícia Finamore, traz para Vitória uma obra inédita do artista Manfredo de Souzanetto. 

A escultura com pigmentos e resina sobre tela e madeira, fez parte de recente individual do artista no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. 

Outro destaque no ambiente da arquiteta é a uma escultura inédita do artista capixaba Vilar em ferro fundido, feito especialmente para o espaço, e também a série de fotografias ‘autorretrato’ de Orlando da Rosa Farya, artista também presente no saguão de entrada da mostra projetado por Ronaldo Barbosa. 

A escultura da artista Andrea Brown, que faz parte da #4 edição do Clube do Colecionador da Matias Brotas, e que será lançado no próximo dia 28 na ArtRio Fair, também está exposta no ambiente. Outro destaque, é um enorme painel que recebe pequenos formatos do artista Antonio Bokel e a sua escultura “Portugal no mundo”. Essa escultura, um galho de bronze gigante fincado em um livro, que na visão do artista representa Portugal, o grande colonizador, que espelhou a língua e a cultura pelo mundo e pelo Brasil, quebrando o curso natural e o desenvolvimento de povos indígenas e da cultura local dos países colonizados. 


No caso a natureza perfura o livro fazendo o caminho inverso.

Já no espaço ‘Loft Contemporâneo’ de Sérgio Caus, sem dúvidas, uma das obras de arte em evidência é uma enorme tela de Shirley Paes Leme da série ‘Água Viva’, onde a artista utiliza sedimento do mangue como elemento pictórico (foto). 

Uma série recente do artista Júlio tigre, e esculturas em cerâmica de Regina Rodrigues, completam a curadoria do espaço.

A Matias Brotas também selecionou diversas obras para o ‘Living’ da decoradora Zilda Helal. Uma raridade nunca apresentada anteriormente é a obra ‘linear mascara circular’ datada de 1976 do artista Dionisio Del Santo, que faz parte de uma coleção particular. 


Num enorme mosaico de obras de grandes artistas, a arquiteta demonstra maturidade e olhar aguçado para os grandes nomes da contemporaneidade. No espaço obras dos artistas Nuno Ramos, Paulo Whitaker, Amilcar de Castro, Vilar e Eduardo Sued.

Sem dúvidas, o maior número de obras está no espaço ‘Solarium’ dos jovens Kássio Fontoura e Marcela Grasselli. Estreantes na Casa Cor ES, eles abusam da diversidade de suportes artísticos e apresentam uma ousadia tão própria da contemporaneidade. São mais de 20 obras. Em destaque a monumental escultura ‘Bile Negra’ da artista capixaba Lara Felipe, que há anos residente nos EUA. 

A obra, em crochê, novelos de retalho e esferas de vidro, esteve em sua mostra individual realizada ano passado na Matias Brotas e também foi levada para o stand da galeria na ArtRio 2015. Outra obra de Lara Felipe que será destaque no espaço é a instalação ‘O peso exato desse leveza’, escolhida pelo renomado curador e crítico de arte Marcus Lontra para participar da 1ª edição da Trio Bienal Internacional do Rio, no ano passado.

O espaço dos arquitetos é um passeio por diferentes gerações da arte e leva a refletir como obras produzidas em tempos tão distintos conversam entre si de forma harmônica e atual. O espaço traz obras de artistas da geração 80 como José Bechara, e ao mesmo tempo novos talentos do século 21 como a dinamarquesa Mai-Britt Wolthers, o capixaba Raphael Bianco e o carioca Antonio Bokel, que recentemente realizou sua primeira exposição individual em Vitória chamada ‘Nada além das palavras.

Comentários