Menu

sexta, 17 de novembro de 2017

Lugar de mulher é na…direção de uma Harley-Davidson

Elas também pegam a estrada sobre duas rodas. 
Cada vez mais mulheres tiram habilitação para moto e participação de eventos e passeios de motociclismo





Iêda Pontes está tirando a habilitação

Elas cada vez mais saem do banco do carona para assumir a direção das motos. O número de mulheres com habilitação em moto cresce a cada ano nas cidades do Brasil. Uma em cada quatro pessoas com carteira de habilitação especial para motos no país é mulher. 

O Denatran revela que existem mais mulheres hoje sobre duas rodas do que há dez anos. Em 2005, elas eram 19% dos motociclistas. Hoje já são 26%.

Elaine Dalman


Mais cuidadosas e atentas, já há dados comprovados que mulheres também se envolvem muito menos em acidentes que os homens, proporcionalmente. E muito mais que andar de moto, elas se organizam para passear sobre duas rodas, ou seja, utilizam a moto para um momento de lazer e não como principal meio de transporte.

Em Vitória, a consultora empresarial Adriana Leão Ferreira (na foto com Isis Bueno e Eliane Dalman), é uma das harleyras capixabas que pegam a estrada sobre duas rodas para curtir a vista e relaxar. 

Ela faz parte da diretoria do HOG Chapter Vitória, grupo de harleyros que fazem diversas ações e passeios de moto no Estado. 

Chamada The Lady of Harley Officer, Adriana conta que atualmente já existe um grupo de mulheres que pilotam engajadas em passeios e que se comunicam pelas redes sociais. 

– “Nós conversamos sobre os passeios, sobre modelos de motos e também queremos incentivar outras mulheres a andarem de moto e mostrar que é seguro e prazeroso. Sempre falo que é algo sem explicação, quando sentamos na moto, ligamos e ouvimos aquele motor, pegamos a estrada, vemos a paisagem, encontramos amigos, conhecemos novos amigos. É como estar em um momento único paralisado, onde sua mente não pensa em mais nada”, explica.


E será que ainda há preconceito nas estradas? Adriana Ferreira explica que ainda há muita reprovação por parte dos homens em ver mulheres pilotando motos, mas que nesses 9 anos andando de moto, ela já consegue ver que aos poucos isso vem mudando. 

Na foto, à frente Isis Bueno e Elaine Dalman

– “Algumas pessoas quando passo de moto ficam olhando, umas ficam admiradas, outras com um olhar reprovador. Mas a maioria para do meu lado no sinal de trânsito e elogia minha moto Harley. O melhor é ver as crianças com toda sinceridade acenando e sorrindo para você. Então eu aceno ou buzino para elas”, complementa.

E já imaginou ver uma mulher designer de moda, toda fashion, sobre uma Harley-Davidson, pegando a estrada toda equipada no meio de homens? 

Pois isso é o que faz Patricia Paganini Quinamo. Com 39 anos e apaixonada por motos desde criança , ela já teve diversos modelos de motos, e recentemente comprou sua moto-desejo, uma Harley-Davidson. Em um ambiente ainda muito dominado por homens, ela diz que não se importa com os preconceitos, ainda muito presente pelas ruas. 

-“Eu amo andar de moto. É uma paixão. Sempre acompanho os passeios que os haleyros fazem e sempre quero fazer cada vez mais, mesmo sabendo que o número de mulheres ainda é reduzido. Ao poucos isso vai mudar”, explica.

E tem algumas que estão na expectativa para pilotar uma moto. É o caso de Iêda Pontes que está em processo de tirar a habilitação em moto. Com o marido harleyro e já apaixonada em andar de moto na garupa, ela decidiu que queria pilotar também e incentivar outras mulheres a fazerem o mesmo.

Com Danielle Ewald

Comentários