Menu

sbado, 18 de novembro de 2017

2ª Edição do painel literário será com Siglia Matias e Regis Teles – Wilson Coelho



SIGLIA MATIAS é uma jovem escritora de 23 anos, premiada pela Secult, começou a escrever com 14 anos histórias de narrativas longas. Ganhou destaque com seu primeiro livro “Saygli e a chave dos anjos perdidos” (2015/ Governo do Estado do Espírito Santo) contemplado no edital. Palestrante em escola e eventos literários. 

Terminou recentemente seu segundo livro, o romance “Flores Secas”. De suas leituras tem preferência por William Faulkner, Harry Potter e Carlos Drummond de Andrade.

SAYGLI & A CHAVE DOS ANJOS PERDIDOS

Saygli é uma princesa que foi treinada para ser uma fiel guerreira do seu povo assim como uma impecável rainha. Uma guardiã de um anjo perdido que deve procurar e guardar; com seus amigos felinos (tigres brancos) Savanna e Eli ela passa de uma princesa reclusa em seus treinos a uma garota do campo, onde começa a descobrir segredos do seu mundo paralelo ao nosso junto com a verdadeira história de seus pais. 

Eros é um anjo que foi criado por pais humanos cientistas, longe de sua verdadeira história, depois da morte do seu pai ele se vê na obrigação de cuidar da sua irmãzinha e sua mãe. Sua vida toma um rumo inesperado quando ele conhece uma princesa desmemoriada.

REGIS TELIS é licenciado em Letras-Português pela UFES, mestre e doutor em Letras (Estudos Literários) pela mesma instituição, com dissertação sobre a poesia de Murilo Mendes e tese sobre as narrativas e ressonâncias em torno da identidade nacional a partir de Mário de Andrade e Sérgio Buarque de Holanda. 

Poeta em full time, traz para a literatura as inquietações da sua vida, o tempo presente, a memória e seu trajeto na academia. Arpoador é sua primeira obra publicada, contemplada pelo edital da Secretaria de Cultura do Espírito Santo em 2015 como melhor romance e publicada pela editora carioca Oito e Meio em 2016.


ARPOADOR
Preciso viver o possível é o que diz, em certo momento, o narrador deste livro. O possível para este personagem sem nome parece estar fundamentado nos ideais de um bon vivant, ou seja, em aproveitar, em todos os sentidos, o gozo que a vida pode lhe proporcionar. Entre as coxas de Paloma, de Megan, de Celeste, de Ángel, ou até mesmo de Luna, as que mais lhe interessam são as de Molly, pois essa é quem figura em seu imaginário e quem o faz retornar ao momento em que observa ser possível amar, ser possível manter-se firme com algum ideal. Essa possibilidade de se ver no outro e com o outro, em diferentes aspectos e realidades, faz com que percebamos que a vida precisa ser explorada. (Nathan Matos)

Serviço
Data: 4/4 às 19h30m
Local Centro Cultural Sesc Glória – Sala da Palavra
Horário: 19:30h
Entrada franca”
2ª Edição do PAINEL LITERÁRIO com Siglia Matias e Regis Teles.

Comentários