Menu

sexta, 17 de novembro de 2017

Sérgio Bahialista: “Quem conto canta, cordel encanta: viva para a poesia viva!”



Enviado por
Wilson Coêlho‎ 


Por Sérgio Bahialista

As riquezas da oralidade dos violeiros e das narrativas tradicionais foram as principais responsáveis pelo “parto” da chamada Literatura de Cordel. 

Com sua origem ibérica, citada por diversos pesquisadores, a poesia sertaneja do Nordeste adquire feição peculiar, adaptando, recriando e criando novas formas, tão vivas até hoje no imaginário do povo nordestino, principalmente.

Nesta ação no Circuito de Oralidades do projeto Arte da Palavra do SESC, vamos juntos refletir sobre o real papel da Literatura de Cordel, a partir de uma perspectiva de encantamento através da poesia, experimentar a dinâmica arte-educativa a partir de recital interativo e estabelecer a relação das linguagens artísticas na construção da Literatura de Cordel.

Acreditando na perspectiva que tudo está entrelaçado no refletir ao fazer, no deleitar-se ao criar, associamos aqui o prazer ao processo de interação arte-educativa com o cordel e toda sua “palavra poética”!

Será uma aventura poética com direito a advinhas, recitações, criações coletivas de versos e muita alegria pendurada no coração! Viva ao cordel! Viva a cultura popular!

5 de abril às 19h30m
                                                   Entrada gratuita
Local: Centro Cultural Sesc Glória – Sala da Palavra
Centro velho de Vitória/ES

Comentários