Menu

quinta, 12 de dezembro de 2019

As mensagens do dia a dia do Rubens Pontes pro Oleari / Diagonal

Diagonal, coluna do Oleari


Niquiqui digo sempre que sou um privilegiado por conviver com um Rubens Pontes, vejam se não tenho razão. Não sei se ele vai considerar uma “traição” publicar seus textos particulares. Por via das dúvidas, já mandei um habeas corpus preventivo. E aproveitar que no mercado tá faltando tornozeleira.

Como nestes últimos 5 anos, poucomaispoucomenos, ele tem sido um dos meus poucos interlocutores na construção do Portal Don Oleari, da Rádio Clube da Boa Música e da TV Rádio Clube da Boa Música – canal no iutiubi: https://www.youtube.com/channel/UCkyTpYHuBEKO6VlQZZhARUw

Sempre nos falamos várias vezes por dia, durante a semana. 

Consulto-o sempre sobre tudo uqui sei quinun sei e sobre tudo uqui sei que ele sabe. Isto é, como sei que ele sabe tudo e sei que não sei nada, consulto-o sobre tudo. Ele nunca me deixa sem uma reposta. 

Fui juntando uns bilhetimeil que ele me mandou em circunstâncias diversas, conforme os títulos que dei aí a cada um, que considero privilegiadas crônicas
de um leitor só.
Garrei a matutá e decidi arbitrariamente – todo Editor é arbitrário – alinhar aqui na coluna. Coisa pra quem gosta de ler e não só curte retratim do feissibuqui (Oswaldo Oleari).
Sobre o ridículo quadro de sinuzite do Oleari


Ovante Oswaldo Oleare
Rubens Pontes

Como o tempo não é linear nem absoluto (e quem disse isso foi Albert Einstein) e assim sendo é o tempo-espaço apenas relativo, que diferença faz para o nosso calendário – este artificialmente determinado pelo Papa Gregório que nem físico era – para se publicar num domingo o que deveria ter sido publicado num sábado?

E mais, já que falamos em Einstein, foi ainda ele quem assinalou, em sua Teoria da Relatividade, que se pode ver dois eventos num tempo invertido: isto é, para o observador 1, o evento A terá ocorrido antes do evento B, ao passo que para o observador 2, o evento B terá ocorrido antes do evento A.

O que nem Newton nem Einstein explicam são as “macacoas” que não escolhem dia nem espaço para nos acometer. como agora com você aconteceu.

Lembro-me de ter lido, já nem sei quando, o fato de terem os chineses assinalado, há mais de 5 mil anos, a existência de uma energia vital que denominaram Ch’i, contendo duas forças, o yin e o yang.

Um desequilíbrio entre essas duas forças causa inexoravelmente moléstia física. Esse descompasso, no seu caso, pode ter sido deflagrado pelo excesso de esforço, físico e mental, em que você está empenhado já faz também muito tempo.

Concordo, no entanto, com quem escreveu “que na vida de um vencedor não existem problemas, mas, sim, desafios”.
E você tem sido e será sempre um vencedor porque você é um sonhador que não desistiu de desafio algum.

Volte logo às lides e se recupere no mínimo o suficiente para degustarmos aquele mesmo vinho que, pelo tempo desde então decorrido, deve estar nos trinques.

Abração, saúde e paz. Rubens”.

Sobre a Censura do feissibuqui

No dia em que uma sem noção, intolerante, denunciou apenas um linki publicado no maledeto feissibuqui sobre a nossa página As Certinhas do Oleari + Poesia Erótica:

Oswaldo Oleare

Sou, por principio e por convicção, absolutamente contra qualquer tipo de censura imposta a órgãos de divulgação. Convivi, como jornalista, com esse tipo de restrição imposto por governos ditatoriais e a experiência nunca foi boa.
Pior quando a hipocrisia se torna patente e aquilo que chamamos de
civilização é ignorada para fazer valer uma visão obliqua do que se convencionou registrar como “atentado aos bons  costumes”.

Na Idade Média denúncias não exigiam confirmação e foi assim que Tomás Torquemada condenou milhares de pessoas a serem “purificadas” de seus pecados nas fogueiras da Inquisição.

Os tempos são outros, mas muitas vezes nos deparamos com episódios que confirmam o que dizem estudiosos do assunto: “a História se repete”. 

Até porque a censura a um semanário da cidadezinha interiorana

tem a mesma configuração da censura imposta a um jornal de grande circulação.  A inspiração ditatorial é a mesma. 


No caso em foco, nesse novo e revolucionário instrumento de divulgação que é a internet.Hipocrisia, prepotência, burrice,  são fatores que marcam a visão obliqua do agente da censura, detentor unilateral, segundo ele próprio,
do critério do que é  certo ou errado e que não pode ser por nenhuma outra parte contestada.

Para os que não leram, ou fingem não ter lido, vale assinalar o que preceitua a Constituição Brasileira de 1988,Inciso IX do Artigo 5:

– “É livre a expressão da atividade intelectual, artística, cientifica  e de comunicação, independente de censura ou licença”.

O dia 3 do mês de agosto é comemorado como o “Dia do fim da censura
no Brasil”, mas nem todos comemoram.

Com a solidariedade  do Rubens”.

Sobre a ida de Rubens e Márcia pra Capim Branco

Benquerente Oswaldo  Oleare

Vou até antecipar uma notícia que aguardava detalhes e  que ocorrerá, certamente, na primeira semana de agosto. Viajaremos até as montanhas de Rola Moça dia 3, para
retornar uma semana depois, com a decisão certamente confirmada.

Márcia e eu entendemos que nesta altura da vida a convivência com a família  é mais
importante, até imperativa, quando a contagem do nosso tempo  se acelera para a inexorável ida, provavelmente sem volta…

Minhas duas filhas, alguns dos meus netos, continuam em Minas. Os outros, em Brasília, muito mais próximos de Belo Horizonte, hoje uma espécie de epicentro procurado.

A decisão foi amadurecida e até certo ponto  contraditoriamente  sofrida: na segunda semana de setembro nos mudaremos para Capim Branco, bucólica e provinciana cidade de menos de 10 mil habitantes, situada na região por onde andou o doutor Lund e por onde trilhou Fernão Dias Paes Leme na busca da montanha de esmeraldas nunca encontrada. Estou, porém, convencido, que meus sonhos serão.

Mas sobre isso falaremos pessoalmente na minha volta,  num almoço íntimo aqui em Manguinhos, onde certamente irei chorar, afogando penas e mágoas, antecipando saudades,  com aquela água que Jesus sabiamente transformou em vinho.

Por outro lado, com isso, poderei estar em Belo Horizonte dia 12 de dezembro, como indica o nosso incrível, único e generoso Hamilton Gangana. Com você, naturalmente, hospedado em Capim Branco, a menos de duas horas da velha Curral del Rei.

Abração, Rubens”.

oswaldo oleari ou oleare (no feissibuqui)
@donoleari (no tuiter)
jornalista,
radialista,
discípulo de
Rubens Pontes

Comentários