Menu

quarta, 13 de dezembro de 2017

2ª Mostra Cinema e Negritude exibe cinco curta-metragens no 24º Festival de Cinema e Vitória

Tia Ciata


Embora o Brasil tenha a segunda maior população negra no mundo fora da África, é muito nítido infelizmente que essa parcela dos cidadãos ainda enfrenta uma intensa batalha por representatividade nos diversos âmbitos da sociedade, entre eles a arte.

Com foco na importância de disseminar a memória e a cultura afro-brasileiras, o 24º Festival de Cinema e Vitória consolida uma janela exclusiva para filmes que abordam questões do povo negro: a Mostra Cinema e Negritude.

Inaugurado em 2016, esse espaço volta fortalecido à programação deste ano, com sessão no dia 16 de setembro, às 14 horas, no Theatro Carlos Gomes. 

Cinco curtas-metragens integram a seleção, que contribui para revelar a força da produção artística e da estética negras, que, com o incansável esforço dos realizadores, têm crescido no país, apesar dos escassos lugares de fala.

A curadoria ficou a cargo do jornalista Leo Vais, da gestora e ativista cultural Charlene Bicalho e da assistente social e professora universitária Maria Helena Elpídio. 

– “A Mostra Cinema e Negritude surgiu para atender a demanda crescente do trabalho de produtores e realizadores negros, ampliando assim a visibilidade dessas produções e legitimando a produção destes novos cineastas brasileiros”, afirmam os curadores, no texto de apresentação da mostra.

– “Esta segunda edição procura evidenciar, a partir de um recorte dessa produção, outras vivências do povo negro como as relações de afeto, as novas oportunidades, a formação e a solidariedade, sem esquecer das questões de racismo e violência, ainda tão presentes no nosso dia a dia”, completam.

Realização: 
Galpão Produções e Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA)
24º Festival de Cinema de Vitória, entre dias 11 e 16 de setembro, em Vitória-ES 
Patrocínio: 

Ministério da Cultura / Lei de Incentivo à Cultura; Petrobras; Cesan e Rede Gazeta
Apoio institucional: 
Secretaria de Cultura do Espírito Santo, Prefeitura de Vitória e Canal Brasil, Academia Internacional de Cinema, da CiaRio e da Mistika.
SERVIÇO:

24º FESTIVAL DE CINEMA DE VITÓRIA
11 a 16 de setembro
Theatro Carlos Gomes
Entrada gratuita

Com Danielle Ewald 

2ª MOSTRA CINEMA E NEGRITUDE
15 de setembro, a partir das 14 horas

Filmes selecionados:

CASCA DE BAOBÁ (FIC, 12’, RJ), de Mariana Luiza. Maria, uma jovem negra nascida em um quilombo no interior do estado, é cotista na Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Sua mãe, Francisca, leva a vida cortando cana nas proximidades do quilombo. As duas trocam mensagens para matar a saudade e refletir sobre o fim de uma era econômica-social.

CONTRASTES DE DISFARCES (EXP, 2’, ES), de Judeu Marcum. Contrastes de Disfarces é uma videoarte que é foi construído a partir da poesia do Marceu Rosaio um poeta capixaba que vem se destacando nas áreas urbanas do país.

NA QUEBRADA (FIC, 4’, ES), de José Augusto Muleta. 
A história é baseada em dois jovens que saem pela comunidade em busca de um “produto típico” da região para oferecer ao turista que visita a cidade.

O CASO J (FIC, 20’, RJ), de José Filipe Costa. Um tribunal é um teatro e a morte pode ser uma montagem.

TIA CIATA (DOC, 26’, RJ), de Mariana Campos e Raquel Beatriz. Tia Ciata é um documentário sobre o protagonismo feminino negro sob a ótica da personagem popular Tia Ciata, uma mulher de suma importância para a cultura brasileira.

VICTOR (ANI, 1’, ES), de Darcy Alcantara, Felipe Gaze e Wolmyr Alcantara. Os pingos da chuva parecem não incomodar um estranho homem e seu surrão quando esses atravessam na madrugada a fachada de um cemitério na alameda mal iluminada. 
Enquanto o carro policial ronda a esquina, o misterioso sujeito, cuja face permanece oculta na névoa densa, aperta o passo até chegar num pequeno cômodo onde dedica o restante da madrugada ao seu enigmático projeto.

Com Danielle Ewald

Comentários