Menu

quinta, 23 de novembro de 2017

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado / Ítaca, Konstantinus Kavástis




Assíduo leitor das crônicas de Jeanne Bilich publicadas em “A Gazeta”, tive minha atenção

despertada para a poesia de Konstantinus Kaváfis, por ela citado como uma espécie de prólogo ao seu texto “A Viagem”, de 2012:

“Se partires um dia sem rumo a Ítaca
faz votos que o caminho seja longo
repleto de aventuras,
repleto de saber.” 

(Ouça o poema no final da coluna, recitado por Sean Connery, em inglés – com legenda em português – e em italiano)

Konstantinus Kavástis, um grego que nasceu em Alexandria, no Egito, é realmente um extraordinário poeta, confirmado em enquete realizada no ano de 2.000 pela “Folha de São Paulo” que situou seu poema

“A Espera dos Bárbaros” entre 100 melhores do Século XX.

Nascido embora em Alexandria em 1863, o poeta era um grego, membro da numerosa colônia helênica

radicada no Egito.

Viveu em extrema pobreza com os problemas que afetaram sua família, sem nunca haver se recuperado

das dificuldades que o tornaram quase um marginal na sociedade em que vivia. 

Cético, questionava
a cristandade, o patriotismo e a heterosexualidade.

Ítaca

Konstantinus Kaváfis

Quando, de volta , viajares para Ítaca

roga que tua rota seja longa,

repleta de peripécias, repleta de conhecimentos.
Aos Lestrigões, aos Cíclopes,
ao colérico Posêidon, não temas:
tais prodígios jamais encontrará em teu roteiro,
se mantiveres altivo o pensamento e seleta
a emoção que tocar teu alento e teu corpo.
Nem Lestrigões nem Cíclopes,
nem o áspero Posêidon encontrarás,
se não os tiveres imbuído em teu espírito,
se teu espírito não os suscitar diante de si.

Roga que sua rota seja longa,
que, múltiplas se sucedam as manhãs de verão.
Com que euforia, com que júbilo extremo
entrarás, pela primeira vez num porto ignoto!
Faze escala nos empórios fenícios
para arrematar mercadorias belas;
madrepérolas e corais, âmbares e ébanos
e voluptuosas essências aromáticas, várias,
tantas essências, tantos aromaticas, quantos puderes achar.

Detém-te nas cidades do Egito – nas muitas cidades-
para aprenderes coisas e mais coisas com os sapientes zelosos.
Todo tempo em teu íntimo Ítaca estará presente.
Tua sina te assina esse destino,
mas não busques apressar sua viagem.
É bom que ela tenha uma crônica longa duradoura,
que aportes, velho, finalmente à ilha,
rico do muito que ganhares no decurso do caminho,
sem esperares de Ítaca riquezas.
Ítaca te deu essa beleza de viagem.
Sem ela não a terias empreendido.
Nada mais precisa dar-te.
Se te parece pobre, Ítaca não te iludiu.
Agora tão sábio, tão plenamente vivido,
bem compreenderás o sentido das Ítacas.


Rubens Pontes
é jornalista,
radialista,
poeta, 
escritor 
– Passos, saltos & quedas,
livro de Rubens Pontes no linki abaixo:https://rubenspontes.com.br

Ítaca na voz do ator Sean Connery

Musica: PELAGIA’S SONG, dal film “Il mandolino del capitano Corelli” – Voce: Carlo Stanzani

Comentários