Menu

tera, 18 de dezembro de 2018

Botaram a mãe do ministro no meio / Mara Luquet / Énois traveiz…

(Evaristo Sá/AFP)

A coisa nuntá bonita no que aqui chamamos Puteiro de Brasília. Situação tá de a vaca mãe não reconhecer bezerrim que acabou de nascer na hora de mamar.

Foi na  comissão de segurança da Câmara dos Deputado, que abriu discussão sobre a polêmica das mostras Queermuseu e do MAM de São Paulo.

Um tal Givaldo Carimbão, deputado dum tal PHS de Alagoas – vixe, mainha, logo Alagoas, terra do Quadrilhão do Renan Canalheiros e do Fernando Collor de Mello – resolveu interpelar o ministro Sérgio Sá Leitão, da Cultura.

Disse que tinha duas mães: “a de sangue e a Virgem Maria”. Foi uquiqui bastô pra apelar. Perguntou ao Ministro se ele gostaria de ver sua mãe – sua, dele, Ministro – com as pernas arreganhadas mostrando tudo, desde o começo do mundo, num museu, quinemqui fizeram numa cena expressando a santa.

Ministro levantou, pediu o chapéu e disse que não esperava ouvir aquilo numa sessão do Congresso.

É aquele negócio: quem bota a mãe no meio, corre o risco de ouvir alguém do lado dizer que vai botar no meio da mãe.

Enfim, com tanto Givaldo Carimbão poluindo o pobre Parlamento do Brasil Varonil Céu de Anil, cada um que cuide de cuidar da mãe. Incluindo a mãe-pátria, tadinha, phodida e mal paga.

Mara Luquet cria canal de jornalismo

Ex-Globo e ex Rádio CBN, Mara se une a sócio do Porta dos Fundos para criar canal de jornalismo, que planeja colocar no ar em 2018.

Mara se associou a Antonio Tabet, criador e sócio do Porta dos Fundos, um dos canais mais bem-sucedidos no You Tube no Brasil. A dupla conta com o apoio de um fundo de startups gerido pela Iporanga Investimentos

“Não é TV na internet”, diz Mara.

Em negociação já com dois patrocinadores principais, o novo canal (ainda sem nome) promete cobertura customizada on demand, análise jornalística, interatividade, cobertura global e linguagem leve e simples”.

Que é o grande talento de Mara Luquet: ela não fala economês. Fala pra todo bichim e bichinha de zoreia entender. Tanto que até eu sempre a entendi claramente e sempre a acompanhei.

– Veja mais emhttps://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2017/10/18/ex-globo-se-une-a-socio-do-porta-dos-fundos-para-criar-canal-de-jornalismo/

Novo PDO novo, 

Rádio CBM, TV Rádio CBM

Lembro sempre de uma frase da minha mãe, Dona Leó, que dizia sempre: “coruja é que gava o toco”.

Pois, entonces, dou uma de coruja, na boa. E feliz por estar configurando o que brinco chamando de Don Oleari Corporeitcham.

Nova etapa, novos parceiros chegando. Os que contribuíram até aqui, devo agradecer. Vou começar pelo mais novo, o uebidisaini Lucas Scardua – https://www.facebook.com/scardualucas – que, um dia, depois de uma chamada colocada pelo filho Pedro Oleari no maledeto feissibuqui, me deu retorno.

Conversamos. Disse duqui precisava e queria arrumar. Afinamos o lero e ele foi acertando o véi PDOC. E acertamos que começo de 2018 a gente ia mudar de cara. Ao Lucas, quero agradecer pela competência, pela inteligência, pela capacidade de entender um véi anarfa analógico-digital. E pela paciência de traduzir o infernetês pro meu pobre purtugueis kkk…

Depois, o mais longevo, meu parceiro e guru Rubens Pontes. A quem tive o privilégio de conhecer em 1981 durante a primeira campanha do empresário Camilo Cola ao Senado. Rubens sempre tolerou minhas doidera e sempre apoiou uqui fui invetando adoidado. Ao Rubens, aquele abraço…

Ao meu irmão mais novo – assim  nos tratamos – José Coco Fontan, advogado, historiador, conhecedor deste Espírito Santo como pouca gente, que foi aprovando uqui eu inventava pra Rádio Clube da Boa Musica. Ele é do ramo, grande colecionador de discos, além de ter sido o fundador da primeira emissora de Rádio da Região Serrana, a Rádio Educadora de Afonso Claudio. Abração e brigaduuuu, meu caro.

Ao Roberto Saul, grande profissional de rádio, grande figura humana, meu consultor informal purm tanto de coisas do tema rádio e inferneti, nuqui ele é um bambambam.

Ao Milton Estevam, hoje produzindo e apresentando o programa Rockoroa na Rádio Clube da Boa Música. Ele esperou pacientemente até que eu tivesse com a Rádio CBM preparada.

Ao Welinton Galdino, que cursa rádio e tevê, há um ano “estagiando” comigo e levando junto a Rádio CBM. E também a TV Rádio CBM, um canal no iutiubi, que logo, logo, estará botando a boca no mundo também.

Pra não dizer que não falei de chatos, de incompetentes e de desatencisos, só digo que estão todos no limbo do esquecimento.

Como digo sempre ao diligente Lucas Scardua, nosso trampo é pra frente e pro alto.

Tamuquitamu.

Vamuquivamu

(Oswaldo Oleari ou Oleare)

Editor Chefão

Comentários