Menu

quinta, 23 de novembro de 2017

Escola Americana de Vitória tem ambientação similar na Casa Cor 2017

Um espaço ideal para convivência, aprendizado e diversão infantil no maior evento de arquitetura, decoração e paisagismo da América Latina, a Casa Cor: são 200m² com área coberta e varanda, onde está o “Kid’s Playscape” – um Playground + Landscape.

O projeto, assinado pela arquiteta e urbanista Fabiane Giestas, em parceria com a Escola Americana de Vitória, conta com ambientes similares aos reais da escola. Além dos pais terem a possibilidade de conhecer um pouco melhor o conceito e a estrutura da instituição, podem deixar os filhos acompanhados por monitores enquanto passeiam pela exposição.

O “Kid’s Playscape” é um ponto de encontro dentro da Casa Cor com bancos em rochas naturais intercalados com paisagismo, oferecendo momento de lazer, descanso e atividades para as crianças

Em vez de oferecer os brinquedos tradicionais, a proposta da arquiteta sugere um espaço lúdico para ser vivenciado e utilizado conforme a criatividade das crianças, onde elas exploram suas habilidades em pintura, tecnologia, entre outras áreas.

– “O objetivo do projeto é evidenciar o caráter da filosofia pedagógica da Escola Americana de Vitoria, estimulando a aprendizagem através da investigação, da relevância e da reflexão”, diz a arquiteta, que participa da mostra pela sexta vez.
Para isso, foram criados os seguintes espaços para explorar diferentes atividades: Playscape, Color Studio, Tech House, Build Experience, Sensory Garden.

O primeiro deles, o Playscape, é o ponto central, onde foi criado um painel educativo com relógio, formas geométricas e cores diversas, com o objetivo de proporcionar aprendizagem através da curiosidade. Ali as crianças criam suas próprias brincadeiras, usando a criatividade. O segundo, o “Color Studio”, é um ateliê de artes, onde as crianças exploram cores, texturas e colagens.

– “Neste ambiente, até as paredes são feitas para receber pintura”, contou a arquiteta.

O “Tech House” é um espaço para diversão e tecnologia, com uma grande parede magnética que oferece infinitas possibilidades criativas, além de opções de games com tablets. No “Build Experience” as crianças vivem uma experiência inovadora, com blocos de encaixe, com os quais poderão usar a imaginação para construir o que quiserem.

O Sensory Garden fica na área externa, com uma varanda com árvores frutíferas e uma horta. Aí, são realizadas atividades com plantas e as crianças experimentam diferentes texturas com os pés e as mãos.

– “Todo o espaço é voltado para o desenvolvimento e prática da criatividade, proporcionando uma grande experiência de aprendizado que diverte enquanto educa”, ressaltou Fabiane Giestas.

Com o objetivo de apresentar o espaço real da Escola Americana de Vitoria, na Enseada do Suá, a diretora pedagógica destaca a importância de participar da maior mostra de decoração do Espírito Santo.

– “O espaço físico é de grande importância para inspirar e sustentar a criatividade e aprendizagem inovadora. Ele precisa ser cuidadosamente planejado, pois é neste espaço que as crianças pequenas desenvolvem o pensamento crítico, a colaboração e as habilidades de comunicação. O ambiente é parte integrante da experiência de aprendizagem de uma criança. É por isso que decidimos participar da Casa Cor. Queríamos chamar a atenção para a importância e o design do espaço físico de uma escola. O espaço da EAV é um lugar multissensorial que envolve mente, mãos, sentidos e a imaginação das crianças”, destacou a especialista.

Fotos: Camilla Baptistin.
Letícia Passos

Comentários