Menu

segunda, 28 de setembro de 2020

Uchôa de Mendonça: Só passando a limpo

NOTA – Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.

Na sua edição de domingo, 05 de novembro, A GAZETA trouxe matéria interessante e velha, ao abordar que, no Estado, espera por Justiça dura até 70 anos. Não é no Espírito Santo, é no Brasil, no Supremo Tribunal de Justiça, em todos eles. Temos a Justiça mais cara do mundo e uma das mais lerdas e ineficientes, simplesmente porque a formação cultural, política, administrativa e organizacional do país não permitem que a estrutura do estado seja decente, moderna, atuante.

Temos excesso de Justiça, mas sua aplicabilidade é mínima, caminha aos empurrões, aos sopapos.
No sistema político nacional existem duas aberrações, melhor explicando, o que nenhum país do mundo civilizado tem: as justiças trabalhista e a eleitoral, afora tribunais aos montes, num processo de empreguismo que não tem fim…

Os problemas nacionais só serão resolvidos o dia que a nação passar por um profundo trauma, onde deverá morrer muita gente, principalmente aqueles que não querem que a nação caminhe.
Tudo no Brasil dá errado, caminha as avessas. Vejam que, na atualidade, o mundo passa por problemas climáticos graves, inclusive o Brasil mas, a burrice, aliada á incompetência e a preguiça não permitem que sejam realizadas obras de regularização dos efluentes.

Na década de 60 os rios Doce, Santa Maria, Cricaré, eram navegáveis. A profundidade de seus leitos foi diminuindo, devido a assoreamento que, como no caso do Doce, pode ser atravessado com água pela canela. Comparando os acontecimentos da atualidade brasileira para com países como Alemanha, França, Portugal, Espanha, Inglaterra, Leste Europeu, é de nos fazer vergonha, dian te do mais imoral abandono em que se encontram nossas reservas hídricas.

A regularização das águas do Danúbio, do Reno, por exemplo, datam de 1700, até para trás, quando foram construídas eclusas reguladoras de vasão.

Quando, um governante esteve preocupado com as violentas cheias dos rios e a seca enervante, pela mais absoluta falta de regularidade das vasões?

O Brasil precisa ser passado a limpo, ser redescoberto, banir a assustadora delinquência que mata 60 mil pessoas por ano. Precisamos urgentemente educar a nossa sociedade para que ela seja livre, tenha coragem, dignidade.

Um dos pontos mais importantes de um país, é o comportamento de sua justiça.
No momento, a que temos é cara, lerda e insensível aos reclamos dos mais necessitados.

Uchôa de Mendonça

é jornalista

Comentários