Menu

quarta, 30 de setembro de 2020

Vitória recebe representantes de 11 municípios de 4 Estados para encerramento de encontro do Fundo Comunidade em Rede

Nesta quarta, 22, os visitantes de três estados vão conhecer o projeto capixaba desenvolvido na bacia do Rio Aribiri, em Vila Velha/ES.

 

Até esta quinta-feira, dia 23, Vitória é o ponto de congruência de seis projetos que vêm sendo desenvolvidos ao longo de 5 anos – desde 2012 – e beneficiam cerca de 20 mil pessoas de 11 municípios de quatro Estados Brasileiros, entre eles o Espírito Santo.

O fechamento desses projetos e seus respectivos resultados para as comunidades onde foram implementados estão sendo apresentados em Vitória, no Encontro Final do Fundo Comunidade em Rede, programa de apoio a projetos comunitários desenvolvidos nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. A sede do encontro é o Hotel Golden Tulip, na Enseada do Suá.

O objetivo é apresentar os resultados, evolução e desafios de seis projetos desenvolvidos até 2017 no âmbito do Fundo Comunidade em Rede, iniciativa do Bloco Brasil da RedE América com a Fundação Interamericana (IAF), uma organização autônoma do governo dos Estados Unidos, e gerido pelo Instituto Arcor Brasil. O Fundo contemplou 16 projetos em 5 anos de funcionamento. Também serão realizados painéis sobre comunicação e facilitação de processos de articulação territorial e Empreendedorismo Social e Negócios de Impacto Social. Aqui no Estado, através da Fundação Otacílio Coser, foi desenvolvido um trabalho de conscientização sobre a bacia do rio Aribiri, um dos braços do Rio Jucu, onde foi implementado o Projeto RioConhecimento.

Hoje, quarta-feira, dia 22, os visitantes vão percorrer a bacia do Rio Aribiri e acompanhar os progressos feitos nas comunidades ribeirinhas em relação à conscientização do que seja o Rio para suas vidas e como a sua preservação está ligada a um assunto que atinge a todos, a crise hídrica e o abastecimento de água. Vão acompanhar a visita, além de representantes dos 11 munícipios de três Estados visitantes, a superintendente da Fundação Otacílio Coser, Ana Beatriz Roth.

Estão em Vitória participando do Fundo Comunidade em Rede, nomes como Cecília Galvani, diretora do Instituto Lina Galvani e coordenadora do Bloco Brasil, e Célia Ribeiro de Aguiar, diretora executiva do Instituto Arcor Brasil e responsável pelo convênio entre o Bloco Brasil da RedE América e IAF.

Também estão no encontro representantes da Secretaria Estadual de Direitos Humanos do Espírito Santo, do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, IEMA, das empresas Log-In-TVV, Companhia Portuária Vila Velha, Prysmian Cabos e Sistemas, da Universidade Vila Velha e do Grupo Comunidade em Ação,.

Eles debatem o tema “Como superar os desafios na articulação do setor público, empresas, universidades e organizações para o desenvolvimento de comunidades sustentáveis”.

Projeto Maré Alta, de Ubatuba, São Paulo.

 

Projetos

Os projetos que serão apresentados durante o Encontro Final do Fundo Comunidade em Rede foram norteados por uma metodologia de construção de redes intersetoriais, unindo organizações da sociedade da sociedade civil, instituições de investimento social privado e poder público em torno de objetivos que variavam de acordo com o território abrangido.

Um deles será o RioConhecimento, iniciativa do Grupo Comunidade em Ação, formado por lideranças comunitárias dos bairros Paul, São Torquato, Cavalieri e Ataíde, de Vila Velha, e que tem suas atividades coordenadas pela Fundação Otacílio Coser (FOCO). O projeto visa sensibilizar e multiplicar ações socioambientais de promoção de melhoria da qualidade de vida da população que mora no entorno do Rio Aribiri.

O grupo trabalha desde 2013 em conjunto e, apesar de certa dificuldade em inserir novos parceiros para partilhar suas experiências e espaços, conseguiu neste período consolidar-se como referência em assuntos ligados ao Rio Aribiri contando com o apoio de empresas da região, da Prefeitura Municipal de Vila Velha, ampliando as oportunidades de capacitação, qualificação e aperfeiçoamento para os integrantes da rede, a partir de rodas de conversas sobre políticas públicas, capacitação em legislação ambiental, elaboração de oficinas de Economia Solidária, geração de renda e empreendedorismo social.

Também desenvolveu ações de mobilização comunitária, com o monitoramento da qualidade da água do Rio Aribiri em parceria com a SOS Mata Atlântica e realizou capacitações sobre boas práticas de uso da água com implantação de sistema de captação da água da chuva.

Outros projetos exibidos serão “Maré Alta”, de Ubatuba (SP), “Fala Comunidade em Ação” e “Bragança Articulada em Rede”, de Bragança Paulista (SP), “RECOA – Rede comunitária em ação”, implementado em Pedro Leopoldo (MG), “Apicultura em Rede no Vale”, nos municípios de Veredinha e Itamarandiba (MG).

Comentários