Menu

quarta, 30 de setembro de 2020

Água ressurge em nascente em fazenda de Muriaé/MG, depois de curso do Senar

A água voltou a brotar em uma nascente em Muriaé/MG após as intervenções realizadas durante o curso de Recuperação de Nascentes dado pelo SENAR Minas em parceria com o Sindicato de Produtores Rurais do município.

A vazão passou de zero para quase 15 mil litros de água por dia, um volume considerado alto pelo engenheiro florestal e instrutor da capacitação, Eduardo Elias Silva dos Santos. O trabalho de mobilização da turma foi de responsabilidade de Camilla Resende.

A nascente, localizada na Fazenda Gameleira, pertencente ao presidente do sindicato local, Henrique Aquino, abastece a bacia hidrográfica do Rio Muriaé. Após aprender em sala sobre os aspectos hidrológicos, legais e vegetacionais, entre outros, a turma de 11 pessoas, entre produtores rurais e familiares de produtores, iniciou o trabalho em campo.

Na parte prática do curso, o grupo fez o diagnóstico da área onde havia uma fonte de água no passado.

– “Com a retirada de terra, logo veio a surpresa: debaixo de um local completamente seco, repentinamente começou a marejar água e, logo a seguir, começamos a ver os olhos d’água. Todos os procedimentos necessários para a recuperação e proteção da nascente foram realizados e o trabalho foi concluído com uma vazão final de 14.600 litros por dia. Sucesso absoluto da equipe”, contou o instrutor.

Entre as ações para a recuperação e proteção de nascentes, Eduardo recomenda reflorestamento para formar áreas com maior capacidade de colaborar na retenção e penetração de água das chuvas, construção de terraços e barraginhas, além do isolamento da área, que deve ter, no mínimo, 50 metros de raio.

– “A adoção de práticas sustentáveis tanto pode ajudar no aumento da água no planeta, como também no melhoramento de sua qualidade. Sabemos que, sem água em quantidade e qualidade, todas as atividades agrossilvipastoris estarão comprometidas seriamente”, alertou.

Sandra de Souza Peixoto de Paiva e o marido têm um sítio com três minas e ela pretende aplicar o que aprendeu para conservá-las.

– “Elas estão praticamente secas. Vamos mexer nos locais para cuidar delas. Hoje todo mundo que tem propriedade com nascentes fica preocupado”, disse.

Para Nélito Augusto de Oliveira, o fato de o curso adotar trabalho em campo é fundamental.

– “O tempo de prática é grande. Isso é uma forma muito boa de gravar e memorizar e nos deixa confortáveis com relação ao conhecimento adquirido”, contou.

Este foi o segundo curso de Adilson José Donato pelo SENAR. Com o aprendizado, ele poderá ajudar o pai dele, que tem uma propriedade com nascentes.

– “Vai ser muito proveitoso. Quero levar esse conhecimento para as pessoas da região onde moro porque eu imagino que, ao ajudá-los a preservar alguma nascente, eles terão condições de fazer o mesmo”, afirmou.

Fonte: https://www.guiamuriae.com.br/noticias/cidade/agua-volta-a-surgir-em-nascente-apos-curso-do-senar-em-muriae/

 

Na foto, um registro enviado pelo agrônomo José Adilson de Oliveira mostrando um trabalho feito também sob orientação do Senar para adequação de estradas rurais com a construção de caixas secas.

Pelo que se deduz, a caixa seca concentra á água das chuvas e, com esse recurso, ela não causa danos à estrada.

Comentários