Menu

segunda, 22 de janeiro de 2018

Cerveja quente, mas foi uma bela festa a volta dos Quiosques de Camburi, em Vitória

Fomos os primeiros a degustar uma cerveja na volta dos quiosques de Camburi, Vitória/ES (vejam a foto: o engenheiro Eduardo Altoé, o digitador deste textim aqui, e a Jô, simpática e competente do bar do João).

Fomos para o 5, onde estão associados o Buteco do João – um dos melhores butecos do Brasil Varonil Céu de Anil – com o Zito, da Praia da Costa,Vila Velha/ES.

Dissemos em coro: “deu certo, vai dar certo”.

A ideia dos butecos campeões é bem razoável, se bem que alguns butecos ganharam às vezes com pratos inexpressivos e com alguma enrolação…

Sem problema. Foi legal viver aquele momento lindo, foram muitas emoções…amigos que não se viam há um tempim, eitécetera e tal.

Sugestões: fomos conferir vários butecos. Tooooodoooos estaveam servindo cerveja pouco gelada, fora do tom.

A música: somos chegados e dependendo do repertório e depois de umas tantas cantamos e dançamos, até.

Mas, toooodooos os butecos precisam regular seu som. Em primeiro lugar, tocar e cantar num volume que não infernize o ambiente e não se permita um lero com os parceiros.
Segundo – e o mais grave ou mais agudo? – é a regulagem de som.

Volume alto, agudos exagerados, são um horror. O melhor som estava no buteco da Moqueca: bem regulado, volume no ponto, os graves no ponto certo, som redondim, agradável.

Em alguns, o abuso do agudo é um convite pra se sair. Somos chatos com essa questão de graves e agudos. Mas, caramba, pra quem tem bom zouvidos e que lida com sons ha´800 anos, nada anormal.

Jornalista João Batista Zucaratto

Ora, viva. Valeu pela oportunidade de nosotros, os povaréu, voltarmos

a ciruclar na área. E óia que foi aparecendo gente. Nós já estávamos lá às 17h35m e o menino que nos atendeu muito bem no buteco do João & Zito disse que só começariam a servir às 18 horas.

Combinamos, entonces; niquiqui deu 6 horas, a Jô baixou uma cerveja na nossa mesa.

A Prefeitura acertou nessa daí. Valeu e eu cheguei a dizer ao prezado Baby Zucaratto, que acompanhava a comitiva do prefeito Luciano Resende:

– Resolveram acertar as besteiras que o João Coser deixou perpretarem ao longo da praia de Camburi, de onde o povaréu sumiu.

Muntchio bom conferir a alegria das pessoas. É um bom resgate. Esperemos que as coisas funcionem, o público compareça e volte à praia de Camburi. E que a gente até possa relembrar dos tempos de praia cheia de cabo a rabo, com mil quiosques, tipo o do Batman, que vendia 300 grades de cerveja nos finais de semana (Oswaldo Oleari).

 

Comentários