Menu

segunda, 22 de outubro de 2018

19º Festivalzinho de Cinema de Vitória exibe sete filmes para crianças e adolescentes

Mostra integra 25º Festival de Cinema de

Vitória e é direcionada

a alunos da rede

pública e a projetos sociais.

 

“O Espírito do Bosque”

 

Chegando ao seu 25º aniversário neste ano, o Festival de Cinema de Vitória segue encantando todas as faixas etárias. E, como de costume, o evento vai abrir espaço na programação para os pequenos espectadores.

Trata-se do 19º Festivalzinho de Cinema de Vitória, que vai exibir uma seleção de sete filmes voltados para o público infanto-juvenil em sessão dia 4 de setembro às 9 horas no Teatro Carlos Gomes. A entrada é aberta a alunos da rede pública de ensino e de projetos sociais da Grande Vitória.

Obras do Rio Grande do Sul, São Paulo, Pará, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além do Distrito Federal, integram a mostra deste ano. Ao final da sessão, o público vai eleger seu filme favorito. O mais votado vai receber o Troféu Vitória no palco do Theatro Carlos Gomes, na noite de encerramento do festival, dia 8 de setembro.

Ao longo de sua história, o Festivalzinho já promoveu mais de 160 sessões para um público estimado de 50 mil crianças e adolescentes. Criada em 2000, a mostra ajuda a formar plateias e a desenvolver a sensibilidade para as artes, muitas vezes promovendo o primeiro contato com o cinema.

Até hoje, o Festivalzinho atendeu 65 escolas e instituições de 52 bairros, em cinco cidades.

A mostra é uma importante ferramenta educacional, como destaca a curadora Rosemeri Barbosa.

– “O Festivalzinho é uma oportunidade de os estudantes terem contato com filmes vindos de diversas partes do Brasil, o que contribui para ampliar o repertório desse público. Assim, a sessão de cinema é um momento de diversão e também um instrumento no processo educativo”, afirma.

Colaboradora voluntária do Festival de Cinema de Vitória desde 1998, Rosemeri Barbosa já participou de vários projetos na área audiovisual, como o Estúdio Aberto Anima Mundi, o Festival de Jovens Realizadores do Mercosul, o Cine Itinerante e o Projeto Animação. Interessada em projetos de cinema de Animação, ela assumiu a curadoria do Festivalzinho em 2011.

Realização: Galpão Produções e Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA),

Patrocínio do BRDE, do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da Ancine e da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.

Apoio institucional: Rede Gazeta e do Canal Brasil.

SERVIÇO:

25º FESTIVAL DE CINEMA DE VITÓRIA

Theatro Carlos Gomes, Centro de Vitória/ES.

De 3 a 8 de setembro

Entrada gratuita

19º FESTIVALZINHO DE CINEMA DE VITÓRIA

Terça-Feira – 4 de setembro | 9h

Filmes selecionados:

Dia das Nações (Iuli Gerbase, FIC, 12′, RS, 2017). Durante o Dia das Nações, uma turma do quinto ano inicia uma pequena revolução nas regras do colégio .

8 Patas (Fabrício Eduardo Rabachin, ANI, 2’25”, SP, 2017). Ao receber uma visita inesperada, Beatriz se vê dentro de seu pior pesadelo.

A aparição de uma pequena aranha transforma o conforto de seu lar em uma sucessão de desventuras, que provará que o maior perigo a enfrentar é o seu próprio medo.

O Menino Leão e a Menina Coruja (Renan Montenegro, FIC, 16’, DF, 2017). Esse é o universo das pessoas-animais, seres que misturam características humanas com as de outro animal. Quando filhotes, eles precisam estudar na Escola Filhote Selvagem, um lugar onde o aprendizado vai muito além da sala de aula.

A Formidável Fabriqueta de Sonhos (Tiago Ribeiro, ANI, 7’36”, PA, 2017). Quando nasce uma criança, inaugura-se uma fábrica de sonhos que tende a fracassar com o tempo. Betina está sempre disposta a ressignificar seus combustíveis para manter seu alto nível de produção.

Pobre Yurinho (João Ademir, FIC, 14’54”, RJ, 2018). Juca e Lipe são dois garotos que passam o dia jogando bola na vila. Yurinho, um típico menino criado pelo avó, quer se juntar à brincadeira.

Meu Melhor Amigo (Laly Cataguases, ANI, 14′, MG, 2018). Em uma viagem poética, um solitário menino dá vida ao seu melhor amigo.

O Espírito do Bosque (Carla Saavedra, FIC, 15′, SP, 2017). Tentando provar sua coragem, a pequena Joana aceita o desafio de entrar no bosque, supostamente vigiado por um antigo espírito.

Com Danielle Ewald, da RF Assessoria de Imprensa

Comentários