Menu

tera, 11 de dezembro de 2018

Tião Martins: A doença fatal do narcisismo

Por Tião Martins, de Belo Horizonte/MG.

 

Observe os possíveis candidatos à Presidência da República e identifique aqueles que se julgam donos absolutos da verdade. São os piores de todos…

Podem ser generais, reformados ou esquecidos. Continuam certos de que foram feitos para governar o Brasil e os brasileiros. “Arre, égua”, diriam meus conterrâneos.

Narcisistas são intoleráveis por qualquer pessoa: não admitem ser criticados, desafiados, contestados e muito menos que alguém saiba mais que eles.

Por isso, até os amigos mais próximos acabam se afastando. O narcisista não lê, porque já sabe tudo. Não ouve, porque julga saber mais que todos. E não respeita a inteligência alheia.

Observe os possíveis candidatos e logo descobrirá quem são aqueles que se julgam superiores à humanidade inteira e proprietários absolutos e solitários da verdade.

Esses levarão o país ao buraco mais fundo e ainda dirão que o culpado é você, seu pai, sua mãe e seus avós.

Às vezes, o cara é doido de pedra…coitadinho

Os especialistas definem o narcisista como egoísta, centrado em si mesmo e autoconfiante.

O narcisismo, basicamente, é a crença do indivíduo de que é superior, mais importante e inteligente que qualquer outra pessoa.

Quando parece que um funcionário está crescendo é problema na certa. Chefes narcisistas sempre tomarão as decisões mais benéficas para si, passando por cima das necessidades e sentimentos de subordinados e colegas.

Na verdade, lidar com um perfil narcisista no trabalho é questão delicada, seja líder ou não. E o narcisista acaba por tentar obter vantagens em qualquer situação.

Ainda bem que a inteligência fala mais alto que qualquer narciso branco, preto, sujo ou marrom.

Tião Martins

é jornalista

Comentários