Menu

tera, 11 de dezembro de 2018

Tião Martins: Um estudo sobre Narciso

 

 

Eco e Narciso Waterhouse, 1903 Walker Art Gallery, Liverpool

 

Quando na posição de liderança, pelo lado positivo, os narcisistas podem ser bastante carismáticos e autoconfiantes – atraindo muitas pessoas para seu inferno.

É o tipo de líder para o qual se quer trabalhar e só depois se descobre o lado sombrio dessa personalidade. Sombrio é pouco: o bicho sofre de outros males…

A expressão “lado sombrio” diz respeito à performance de pessoas que não estão sob os holofotes ou
não se importam se vão dar ou não uma boa impressão a outras pessoas.

É essencial compreendermos que o narcisismo de um candidato pode minar por completo o seu
desempenho em qualquer time, por menor que seja.

No Inventário Hogan de Desafios, pessoas com resultado de risco elevado na escala Arrogante (que
indica uma inclinação ao comportamento narcísico) tendem a:

ter uma ambição assertiva e não se amedrontarem frente a tarefas complexas, independente da sua
performance no passado;
ser impulsivas e resistentes ao feedback negativo;
avaliar suas habilidades de forma fantasiosa e tomar decisões sem levar em conta a opinião dos outros;
sentirem-se merecedoras de posições de liderança e de um tratamento especial;
serem intimidadoras e insensíveis ao lidar com colegas de trabalho e outros subordinados, culpando-os
por tudo que sai errado.

. insensíveis às demandas dos companheiros;

. só estão interessados em cuidar de seus interesses;

. não dão crédito ao trabalho dos subordinados;

. podem quebrar as regras ou normas éticas;

. não se importam com as condições de trabalho dos outros.

Abaixo esses falsos gênios, que amam as armas e acreditam que elas decidem tudo.

São piores, bem piores, que os mais falsos profetas…

Tião Martins

é jornalista

Comentários