Menu

tera, 11 de dezembro de 2018

Alencar Garcia de Freitas: Os políticos oportunistas (e cara de pau)

 

Bandear de um lado para o outro, de acordo com as conveniências e vantagens oferecidas, é, na maioria das vezes, próprio dos oportunistas de plantão que militam na política partidária brasileira, como acaba de acontecer no nosso Estado do ES e, de resto, Brasil afora.

Pelo que vivenciamos, há uns 20 anos, na condição de um dos coordenadores da campanha do falecido Jones Santos Neves Filho (foto à direita) para deputado federal, de quem chegamos a ser assessor parlamentar, aprendemos, na prática, como existia oportunista, alguns deles, por sinal atualmente na crista da política capixaba; naquela ocasião com pinta de direitista, logo depois esquerdista e agora uma mistura de centrista com esquerdista, sempre por oportunismo.

Nos últimos dias, como observadores da cena política, vimos o bandeamento aqui no Estado do ES e no país de vários políticos, alguns de extrema direita indo para a extrema esquerda e vice-versa com a maior cara de pau.

Recorrendo mais uma vez à minha experiência como assessor político de um político de direita, mesmo sendo de esquerda, tive um encontro acidental com um irmãozinho de esquerda, então candidato a deputado estadual.

Ele foi a um encontro com um grande empresário em busca de ajuda financeira para a campanha – eu entrava e ele saía do gabinete do homem. Ele exclamou:

– “você por aqui? Eu respondi, sim, mas não sou candidato, apenas assessor de um candidato de direita! E perguntei:

– “E você, de esquerda, o que faz aqui?

Sua resposta foi a mais cínica possível:

– “dinheiro não tem cor, cara!”

Vê-se, portanto, que na hora de pedir dinheiro e voto o candidato é capaz de fazer qualquer negócio…

Agindo assim a ciência política será sempre encarada e tratada com desdém, como algo vergonhosamente fisiológico, na base do toma lá, dá cá, pouco importando se mais na frente tenha que enfrentar uma Lava a Jato, como muitos estão agora, respondendo processos com a maior cara de pau, dizendo-se inocentes.

Alencar Garcia de Freitas

é jornalista

Comentários