Menu

quarta, 14 de novembro de 2018

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado – Oração do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, Papa Francsico

O Senhor perdoa, mas perdoa quando os corruptos fazem o que fez Zaqueu:

– “Eu roubei, Senhor! Darei quatro vezes aquilo que roubei”.

 

– “A corrupção é “uma praga apodrecida da sociedade, é um pecado grave que brada aos céus, porque mina as próprias bases da vida pessoal e social. A corrupção impede olhar para o futuro com esperança, porque, com a sua prepotência e avidez, destrói os projetos dos fracos e esmaga os mais pobres. É um mal que se esconde nos gestos diários para se estender depois aos escândalos públicos. A corrupção é uma obstinação no pecado, que pretende substituir Deus com a ilusão do dinheiro como forma de poder. É uma obra das trevas alimentada pela suspeita e pela intriga. (…) Para erradicá-la da vida pessoal e social são necessárias prudência, vigilância, lealdade, transparência, juntamente com a coragem da denúncia. Se não se combate abertamente a corrupção, mais cedo ou mais tarde, ela nos torna cúmplices e destrói-nos a vida”.

Quem escreveu esse contundente manifesto não foi um membro da nossa aguerrida Procuradoria Geral da República. Seu autor, acima de qualquer suspeita, é Jorge Mário Bergólio, que ascendeu ao Trono de São Pedro sob o nome de Papa Francisco.

Essa citação nos ocorre nesta véspera de um dia que irá definir o destino político do nosso sofrido mas sempre esperançoso País e os rumos do nosso maior anseio que é a erradicação da corrupção que mina com corrosiva desfaçatez a vida de cada um de nós.

Há uma porta de saída para os corruptos, confirma o Papa, “para os corruptos políticos, para os empresários e para os corruptos da Igreja: pedir perdão! Isso agrada ao Senhor. O Senhor perdoa, mas perdoa quando os corruptos fazem o que fez Zaqueu:
– “Eu roubei, Senhor! Darei quatro vezes aquilo que roubei”.

Regina e Sílvio Santos, queridos amigos desde o Espírito Santo, que ora nos visitam em Capim Branco, me trouxeram de Buenos Aires, onde estiveram recentemente, um presente que tocou meu coração: o livro de Jimmy Burns “El Papa de la Promesa” – religión y politica em elascenso de Jorge Mario Bergolio al trono de San Pedro (Editora Emecé).

É na sua leitura que me inspiro para sugerir a leitura do “poema de sábado”, nesta véspera da eleição com o coração desarmado e com a consciência da importância do voto de cada um de nós.

O colunista e o “staff” do Portal Do Oleari – englobando aí a Rádio Clube da Boa Música e o programa Sociedade  dos Poetas Vivos – não confundem religião com politica partidária, mas estão certos de que a palavra do líder católico transcende essa visão.

Até porque, acentua Sua Santidade, “envolver-se na política é uma obrigação para o cristão. Nós, cristãos, não podemos nos fazer de Pilatos e lavar as mãos, não podemos”.

ORAÇÃO DO ANO SANTO EXTRAORDINÁRIO DA

MISERICÓRDIA

Senhor Jesus Cristo,

Vós que nos ensinastes a ser misericordiosos como o Pai celeste

e nos dissestes que quem Vos vê, vê a Ele,

mostrai-nos o Vosso rosto e seremos salvos.

/O Vosso olhar amoroso libertou Zaqueu e Mateus

da escravidão do dinheiro;

/a adúltera e Madalena, de colocar a felicidade apenas numa criatura;

fezPedro chorar depois da traição

e assegurou o Paraíso ao ladrão arrependido.

/Fazei que cada um de nós

considere como dirigidas a si mesmo

/as palavras que dissestes à mulher samaritana:

/ ‘Se tu conhecesses o dom de Deus!’

Vós sois o rosto visível do Pai invisível,
/
do Deus que manifesta sua

onipotência , sobretudo no perdão e na misericórdia:

Fazei que a Igreja seja no mundo o rosto visível de Vós,

/seu Senhor Ressuscitado e glorioso.

Vós quisestes que também os Vossos ministros

fossem revestidos de fraqueza,

para sentirem justa compaixão

por aqueles que estão na ignorância e no erro:

fazei que todos os que se aproximarem de cada um deles

/ sintam-se esperados, amados e perdoados por Deus.

Enviai o Vosso Espírito / e consagrai a todos com a sua unção

para que o Jubileu da Misericórdia seja um ano de graça do Senhor

e a Vossa Igreja possa, com renovado entusiasmo,

levar aos pobres a alegre mensagem,

proclamar aos cativos e oprimidos a libertação

e, aos cegos, a restauração da vista.

Nós Vô-lo pedimos por intercessão de Maria,

Mãe de Misericórdia,

a Vós que viveis e reinais com o Pai e o Espírito Santo,

pelos séculos. Amém.

Rubens Pontes, jornalista,

radialista, escritor

Comentários