Menu

tera, 18 de dezembro de 2018

Oswaldo Oleari: O STF jogou pra plateia – Rubens Pontes, da varanda – Bianca Campagnoli, dança do ventre – União de Trovadores

 

 

 

Salvo engano do digitador desta linha aqui, o indulto do TemerOSO levou uma retranca aos 49 minutos do segundo tempo.

Essa foi a leitura que me permiti fazer depois de ouvir o voto do Soltador Geral da República e do Sr. Lewandowski a vida.

Aprecio muito as posições da Ministra Rosa Weber, que às vezes vota contra sua posição pessoal, mas respeitando os ritos de modo geral.

O que pouca gente diz é que é prerrogativa do Presidente da República – isto é, a instituição Presidente da República e não o eventual ocupante do cargo – conceder
esse “referesco” aos que deicidiram passar um tempim em retiro, vendo o Sol nascer quadrado.

Claro, TemerOSO, um dos competentes gestores do Quadrilhão do Podre MDB em parceria com o Quadrilhão do PT, modificou os ritos em causa própria e em favor de cúmplices e parceiros das facaltruas zilionárias dos últimos 16 anos.

A partida jatava num “chocolate” de 6 X 2, quando acendeu a luzinha vermelha.
Eles talvez tenham combinado antes, nunca vai se saber.

A mim me parceu que o pedido de vistas do Ministro Luis Ficks chegou em boa hora e o presidente Dias Toffoli engatou uma segunda. suspendendo a partida.

Justificativa de Toffoli: Lewandowski saiu mais cedo.

Essa estratégia, suponho, foi armada para evitar o enfrentamento com a opinião pública e os 57 milhões de adoradores do Capitão reformado, que tinha dito horas antes: – “Se tiver indulto, vai ser o último, porque no meu governo não vai ter indulto, não”.

Deu pra entender? Ou vai entender sem dar memo?
Os doutos juízes do STF – ou uma parte deles, apenas – não tão a fim de botar o deles a prêmio e enfrentar a ira dos que votaram no diferente, no desconhecido, no não sei maisuquê.

Pedidos de vistas de um processo no STF pode durar dias. Ou anos. Antes e ser o Soltador Geral da República, Gilmar Mendes já ficou com um engavetado por quase 3 anos, dizem os maledicentes.

Entonces, é esperar. E torcer pro Ministro Fucks engavetar esse daí até o dia de São Nunca à tarde.
Rubens Pontes, meu guia, tem alguma coerência nesse textim aí? (Oswaldo Oleari).

Rubens Pontes,

vista da varanda

Rubens me manda a foto e diz aí:

– “Não é por nada não, mas essa é uma vista a partir da varanda da casa onde moro, em Capim Branco…Vida dura de um aposentado. Às 7 horas, ao entardecer,  sentado no varandão, tomando uma  taça de vinho e confirmando, bem ali em frente,  como Deus fez o mundo à guisa de um  Paraíso que aos poucos vamos destruindo”.

Não sem um tantim de inveja, respondi pra ele:
– Não me leve a mal, mas sempre fui doidim pra ter um amigo que me presenteasse com um sítio assim”…

União Brasileira de Trovadores 

Quem manda o convite é a Regina Menezes Loureiro, da grande família Menezes do meu irmãozim Pedro Anísio Menezes, quitá sumidaço.

É neste sábado na Feira Literária de Cariacica.

Bianca Campagnoli convida pra dançar

É chegada na dança do ventre?

Entonces, tá aí a sua chance. Como diz aí o baner, aulas todos os dias em dezembro, janeiro e fevereiro.  Contatos ao pé do anúncio.

Oswaldo Oleari,

jornalista, radialista, publicitário e cronicascateiro –

Com meu prezado Marco Aurélio Fontan no Pub Pedra Azul há um tempim. Só pra dizer que o José Coco Fontan, pai do Marco Aurélio, sumiu geral. E o perrengue celular nunca atende (OO).

Comentários