Menu

tera, 18 de dezembro de 2018

Uchôa de Mendonça: A vida alheia II

Ainda não vi um projeto mais genial do que o monotrilho criado pelo arquiteto Bryan Noronha de Mendonça para a Terceira Ponte.

Discute-se, um negócio que está ficando velho, se a ponte Darcy Castelo Mendonça – a Terceira Ponte, sobre a baía de Vitória – diante da incidência de suicidas (alguns pseudos, sem muito sucesso, pedindo que alguém piedoso os tirem de lá), mereça uma proteção de painéis de telas, placas de vidro, cerca elétrica (foto à direita) – dessas de afastar intrusos) – uma diversidade de ideias que pecam pelo custo elevado e a feiura, estragando o cartão postal em que se transformou a obra que levou 18 anos para ficar pronta.

Esse negócio de suicídio é meio complicado. Trata-se da vida alheia e cada qual faz dela o que melhor lhe aprouver. Tem os salvadores, que com sua “bondade” atrapalham o trânsito, enfurecem até os que querem chegar ao seu destino e são impedidos pelos supostos intrometidos, por alguns. O negócio é difícil…

Outro dia, um jovem arquiteto, pensando no futuro, elaborou uma ideia genial, que pode transformar uma formidável região do nosso estado em polo de desenvolvimento turístico.

A ideia do arquiteto Bryan Noronha de Mendonça é adaptar aos lados de proteção da Terceira Ponte, um monotrilho, carregando passageiros nos dois sentidos, podendo prosseguir viagem pela Rodovia do Sol.

Sua implantação seria através de concessão, sistema elétrico, colchão de ar ou através de outro sistema de propulsão, com uma beleza extraordinária, um gigantesco passo para o futuro.

Tem muitas ideias por aí, tem sonhadores aos montes, buscando uma tremenda inovação no campo dos transportes de massa, com um pendor para o turismo extraordinário.

Acho, com a ajuda de todos nós, o Brasil vai passar por uma profunda modernização nos seus princípios políticos, sociais, administrativos e até morais. Coloquem em suas cabeças. Não há futuro para o Brasil com as repartições públicas atulhadas de gente, sem um mínimo de conhecimentos, em termos de mobilidade urbana.

Chamam-no de maluco, Hitler, sei lá mais o que, o futuro presidente da República, Jair Bolsonaro, mas ele está se cercando de gente que deseja ver o Brasil ingressar na era do liberalismo. Tem 80 anos que montou-se no Brasil um dos piores sistemas burocráticos do mundo. Para desmontar essa formidável tragédia será preciso mais 80 anos, sem permitirem que surjam analfabetos e ladrões para infestarem de novo a política, os cargos públicos.

Ainda não vi um projeto mais genial do que o monotrilho criado pelo arquiteto Bryan Noronha de Mendonça para a Terceira Ponte. Além de ser inovador, bonito, vai prestar um serviço ao desenvolvimento do turismo do Estado como nunca foi sonhado.

 

A ideia do jovem arquiteto foi entregue no DER. Precisa outro sonhador para tirá-lo do armário!

Uchôa de Mendonça

é jornalista

 

Comentários