Menu

sbado, 23 de maro de 2019

O plural, múltiplo e superlativo Rubens Pontes – 14 de dezembro – Diagonal

 

 

Nunca fui muito bom de homenagens. Sempre fui um tiquim mió dando porrada. E nunca questionei a crítica, os críticos. Só reclamei deles, sempre, por serem mais inteligente duqui eu.

Certa vez, na Rádio Capixaba, século passado, o Diretor Comercial Alencar Garcia de Freitas me pediu pra escrever um texto sobre personalidade da cidade quitava praimbarcá pro além.

Tive o cuidado de perguntar:

– Podisculhambá ou é pra elogiá?

Alencar respondeu:

– Não, é pra elogiar porque o candidato a falecido ainda tá resistindo.

Mas, hoje é 14 de dezembro, pranois uma data muito importante porque é a data de aniversário de um cara chamado Rubens Pontes. Um intelectual, um estudioso, um pesquisador.

Que pintou em Vitória/ES em 1981, niquiqui foi convidado pelo saudoso Nelson Mendes (acima à esquerda e entre Dona Inês, atrás, e Camilo Cola, abaixo à esquerda) a chefiar a equipe que trabalhou na campanha a senador do Comendador Camilo Cola.

Embora fossem 4 meses de campanha, só fui conhecer o Rubens Pontes cerca de um mês depois, maiomenu a partir de um dia em que fomos saborear uma super feijoada num buteco do bairro Santana, em Cariacica, ao sul de Vitória.

Sempre fui pesquisador de buteco e logo percebi que Rubens era um apreciador de comidas de buteco, não fosse ele um mineiro viciado no velho Mercado Central de Belzonte.

A partir daí nossa amizade foi-se construindo de tal forma que nunca mais nos desligamos.

Na foto, a Isca de Fígado com jiló num buteco do Mercado Central de BH

Mesmo tendo ido pra Brasília depois da campanha de Camilo Cola, onde foi executivo de um grupo empresarial do setor de comunicações, entre eles Artes Gráficas Gomes de Souza,

Trabalhou no Congresso Nacional – trabalhou com o Senador Jarbas Passarinho, entroutros, foi dono de agência de notícias iuiscambau, mas Rubens sempre manteve contato. Qualquer evento no ES ele me requisitava pralguma coisa ou nunca deixava de me convidar.

“Folha corrida”

Hoje, estamos festejando um dos caras mais topidilinha da nossa vivença. Uma história de vida e profissional belíssima, sempre digo que Rubens Pontes não tem um currículo.

O que ele tem é uma bela “folha corrida”, rica de grandes acontecimentos, lugares e personagens.

Um deles, Juscelino Kubitschek de Oliveira, com quem Rubens trabalhou na assessoria de Imprensa no Governo de Minas.

Com Juscelino Rubens tem passagens ótimas, que ele contou num livro, esse aí da foto.

– Passos, saltos & queda – livro de Rubens Pontes no linki abaixo: https://rubenspontes.com.br – É uma leitura deliciosa, de cabo a rabo, que vale a pena conferir.

Nos anos mais recentes – dezesseis exatos – Rubens se desiludiu do mundaréu de Brasília.
Em 2002, setores do governo a quem sua Agência de Notícias prestava serviços decidiram mudar a taxa universal da chamada comissão de agência, aqueles
20 % sagrados desde que Gutemberg inventou a prensa.
Propuseram a Rubens o seguinte: ele ficaria com 20 % da fatura e os chefes de setores ficariam com 80 %, uai…

Agradeceu, enfiou o contrato no embornal sem mandar ninguém pra putaquiupariu por ser um cara educado, e resolveu se refugiar no seu retiro de Manguinhos, uma praia da Serra, litoral norte de Vitória, capital.

Na foto, a vista da varanda de Rubens em Capim Branco.

Atualmente, ele está em Capim Branco, Minas Gerais, menos de 50 quilômetros de Belzonte.

Um blogui, um saiti, um portal, nos tornaram mais parceiros, e Rubens se tornou no que eu chamo de meu tutor intelecquitual.

Um homem de muita sabença e de muita vivença, Rubens Pontes, como seu nome e sobrenome,

É plural, É múltiplo, É superlativo.

Como tenho que chegar ao malfadado ponto final deste textim, lhes digo que se tivesse poderes, pra ajustar a lambança em que as quadrilhas de assaltantes engravatados e com altos cargos na Ré Pública transformaram o Brasil Varonil Céu de Anil, eu indicava Rubens Pontes pra prisidenti da República.

Mas, tenho absoluta certeza de, conhecedor do seu caráter, da sua visão, da sua sabedoria, que seu primeiro ato seria renunciar à prisidença.

Salve, salve, Rubens Pontes! Saúdo também a toda a família Pontes pelo privilégio que nos concedeu de ter o Rubens sempre perto de nosotros (Oswaldo Oleari).

oswaldo oleari ou oleare
é apenas um privilegiado por ter
amigo e parceiro com a
estatura moral e intelectual
de um Rubens Pontes.

Comentários