Menu

sexta, 15 de novembro de 2019

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado – Na Ribeira Deste Rio, de Fernando Pessoa

 

 

Marcelo Gleiser (foto), carioca nascido em 1959, é um cientista de renome internacional, professor titular de filosofia natural e de física e astronomia na Dartmouth College.

Doutorou-se no King’s College, Inglaterra, atuou como pesquisador do Fermi National Acclerator Laboratory, em Chicago, e do Institut for Theoretical Physics da Universidade da Califórnia.

Como se não bastasse, é professor catedrático de física e astronomia no Dartmouth College (à esquerda), em New Hampshire.

A Nattional Science Foundation, a Nasa e a Otan concederam-lhe bolsas de estudo para pesquisas.

Em 1944, Marcelo Gleiser foi premiado pelo presidente Bill Clinton com o Presidential Faculty Fellows Award. Em 2001, recebeu o prêmio “José Reis de Divulgação Científica” do CNPq.

Autor de vários livros editados pela Companhia de Letras, entre eles “Retalhos Cósmicos”, “O fim da Terra e do Céu” , “A harmonia do mundo”, e o infanto-juvenil

“O Livro do Cientista”. Pela Record, publicou “A Simples Beleza do inesperado”.

Como escritor, recebeu o Prêmio Jabuti 1998, pelo Melhor Ensaio e Biografia, com 70 mil exemplares vendidos.

Marcelo Gleiser atua no jornalismo como articulista do jornal “Folha de São Paulo”.

A admiração do pessoal do Portal Don Oleari pelo cientista brasileiro se justifica sobretudo por sua atuação na área de países mais adiantados do mundo, onde pontuam grandes nomes e da qual Marcelo Gleiser marca significativa presença.

O respeito do colunista vai além disso porque, afinal, atuamos os dois numa outra frente, tão significativa quanto a científica.

Somos, Marcelo Gleiser, sem qualquer outra possibilidade de comparação, e eu, apaixonados pela pescaria.

Em viagens pelo mundo, para participar de conferências científicas, sempre encontra ele tempo para pescar, seja no Distrito dos Lagos, no Reino Unido, seja na pacata São José dos Ausentes (à direita), na serra gaúcha, na histórica Sansepoltro italiana, ou no gélido rio Laxá, na Islândia.

Segundo ele, esses são momentos para refletir sobre as diversas formas como a física influencia o ato de pescar, como a pesca serve de espelho para o

funcionamento da natureza e como a ciência lida com a espiritualidade, o mistério e as coisas que não consegue explicar (registro contido na orelha do livro “A simples beleza do Inesperado”, Editora Record).

Marcelo Gleiser dedica um dos seus livros :

– Para a truta que não peguei e a equação que não resolvi”. Parece até confirmar Herman Melville em “Moby Dick”:

– Como sabemos, a água conduz o homem à meditação.

O Poema para este sábado se prende ao tema e, com ele, uma homenagem do Portal Don Oleari ao “Dia da Língua Portuguesa”, comemorado dia 5 último.

Quem melhor do que Fernando Pessoa, o grande expoente da poesia portuguesa, para marcar nossa homenagem, e o que pode ser melhor para falar sobre rios por onde nadam os cardumes, do que seu sensível poema “Na Ribeira Deste Rio” ?

Diz-me o pessoal da Rádio Clube da Boa Música ter sido esse poema interpretado na voz de Dori Caimi (ouça lá embaixo).

Rubens Pontes
Capim Branco, MG

Na Ribeira Deste Rio

Fernando Pessoa

na ribeira deste rio
ou na ribeira daquele
passam meus dias a fio
nada me impede, me impele
me dá calor ou dá frio

vou vendo o que o rio faz
quando o rio não faz nada
vejo os rastros que ele traz
numa sequência arrastada
do que ficou para trás
vou vendo e vou meditando
não bem no rio que passa
mas só no que estou pensando
porque o bem dele é que faça
eu não ver que vai passando

vou na ribeira do rio
que está aqui ou ali
e do seu curso me fio
porque se o vi ou não vi
ele passa e eu confio

Rubens Pontes, jornalista,

escritor – – Passos, saltos & queda – Linki pra ler Passos, Saltos & Quedas, de Rubens Pontes.
http://online.anyflip.com/mitk/xjqj/mobile/index.html?fbclid=IwAR39mt-wlzHGKBAeTSG7cZOD4etEr38ocVyHkE-rPKkwvhpfI8qfvf7khLE#p=10

Disco A MÚSICA EM PESSOA (1985) Som Livre.

 

Comentários