Menu

tera, 12 de novembro de 2019

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado – Albert Einstein, Enquanto houver amizade

A contribuição científica de Albert Einstein para elucidação dos mistérios que envolvem a criação do mundo e seus desdobramentos, é absolutamente fantástica, desenvolvendo uma nova fundação conceitual para a física, para o desenvolvimento da mecânica quântica.

Suas ideias sobre espaço e tempo, sua teoria da relatividade geral, o transformaram, quando confirmada em 1919 pelo astrônomo sir Arthur Eddington (à direita de Einstein), no físico mais famoso da História, em todos os tempos.

E=mc² virou uma espécie de símbolo, popularizada em nosso tempo até em camisas, em pôsteres, ao lado dos Beatles ou de Pelé.

A genialidade de Einstein no mundo da física foi reconhecida por personalidades como Robert Wilikan, ao aceitar sua teoria sobre efeitos fotoelétricos, 10 anos depois de anunciada, confessando:

– “Mesmo que ela seja completamente sem sentido, mesmo que ela parecesse violar tudo que conhecíamos sobre a interferência da luz (uma propriedade ondulatória).”

Doutor Honorário da Universidade de Genebra, junto com Marie Cury (à direita) e Wilhelm Ostwald (à esquerda); diretor do Kaiser Wilhelm, em Berlim, Albert Einstein viu sendo confirmadas, através dos tempos, suas teorias revolucionárias capazes de desvendar muitos dos grandes segredos guardados pelo Criador do Universo, a partir do Big Ben.

Em 1921, Einstein foi agraciado com o Prêmio Nobel por seu modelo do efeito fotoelétrico que usava o fóton como “partícula de luz”.

Os volumes da Enciclopédia Britânica seriam insuficientes para narrar a história do maior cientista que a humanidade conheceu, mas ainda assim o que poderá surpreender os leitores do Portal Don Oleari versados em física clássica, são os parêntesis abertos por Albert Einstein, em seus raríssimos momentos de devaneio além de suas

equações, certamente olhando à noite o céu pontilhado de estrelas que ele podia chamar de irmãs, para mostrar que é possível conciliar a complexidade de seus estudos com a singeleza da poesia.

Alberto Einstein (que esteve no Brasil em maio de 1925,) somou aos seus sonhos a criatividade poética.

– “Quando eu era razoavelmente precoce, entendi a futilidade das expectativas e Lutas que determinam a vida de tantos homens”, confessou o sábio que, numa vertente quase desconhecida para quase todos nós, foi também poeta.

É o que o Portal Do Oleari, com natural destaque para Sociedade dos Poetas Vivos e esta Coluna testemunham, com o Poema selecionado para este sábado.

Rubens Pontes,

De Capim Branco, MG. – Passos, saltos & queda – Linki pra ler Passos, Saltos & Quedas, de Rubens Pontes.
http://online.anyflip.com/mitk/xjqj/mobile/index.html?fbclid=IwAR39mt-wlzHGKBAeTSG7cZOD4etEr38ocVyHkE-rPKkwvhpfI8qfvf7khLE#p=10

Enquanto houver amizade

Albert Einstein

Pode ser que um dia deixemos de nos falar…
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe…
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos…
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos…
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe…
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.

Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

Albert Einstein

Abaixo do livro de Rubens Pontes: Selo postal norte-americano, 1966.

Físicos alemães Albert Einstein e Max Planck em foto de 1929

Comentários