Menu

quinta, 14 de novembro de 2019

Bernadette Lyra aborda morte, solidão e velhice, em “Ulpiana”

 

Em seu décimo primeiro romance, a escritora se debruça novamente sobre a trajetória de mulheres

Foto: Gelson Santana

“Ulpiana” começa com a opção por morrer por parte de uma mulher, e, a seguir,várias histórias vão se entrelaçando, à medida que a sobrinha tenta decifrar o enigma da morte da tia.

O livro será lançado no dia 22 de agosto (quinta-feira), às 19 horas na Casa dos Braga em Cachoeiro de Itapemirim/ES.

O título “Ulpiana” se refere a uma antiga necrópole em ruínas, situada nos Balcãs, na planície do Kosovo. O local misterioso situa cenas do livro e perpassa toda a narrativa, que se desenrola de forma não linear em torno da vida de várias mulheres, unindo fragmentos de memórias e tramas, envolvendo enganos, desenganos e perdas.

– ”Ulpiana” foi escrito porque sempre achei perturbadora a atitude das pessoas diante da morte. Sobretudo, se essa morte se deve a um ato voluntário por parte de alguém. Nesse último caso, os viventes que ficam buscam alguma coisa que atenue o espanto, a dor da perda, a sensação de culpa. E seguem repetindo os pequenos rituais do dia a dia,enquanto têm de enfrentar as lembranças e o fato de que a vida inevitavelmente se acaba, às vezes de forma brusca e inesperada”, explica a autora.

Bernadette revela uma visão sobre a morte, sem julgamentos e sem sentimentalismos, que são comuns ao tema. E faz isso, de forma poética, com uma prosa leve e sedutora que vai enredando os leitores ao longo das muitas histórias.

Reconhecimento

A professora emérita da Ufes Bernadette Lyra é também a mais nova integrante do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades (PósCom-Ufes). Em 2018,  a escritora foi considerada Pesquisadora do Ano, pela SOCINE (Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual) e, em 2019, ela será a homenageada capixaba do 26º Festival de Cinema de Vitória.

A autora

Bernadette Lyra nasceu em Conceição da Barra/ES. Escritora com prêmios literários obtidos por todo o país.

Tem trabalhos em antologias, revistas e jornais do Brasil e do exterior. Alguns livros de ficção publicados: “Memória das ruínas de Creta” (1997, 2a ed. 2018); “Tormentos ocasionais” (1998); “O parque das felicidades” (2009); “A capitoa” (2014); “Água salobra” (2017).

Como pesquisadora de cinema publicou “O jogo dos filmes” (2018) entre outras obras.

 Serviço

Data: 22/8

Hora: 19 horas

Local: Casa dos Bragas.

Rua 25 de Março, 166 – Centro, Cachoeiro de Itapemirim/ES. O livro será vendido por R$ 30,00.

Com Lívia Corbelari

Comentários