Menu

sexta, 15 de novembro de 2019

Trinta anos: Terceira ponte ou ponte “Ponte Darci Castello Mendonça?” – Alencar Garcia de Freitas

 

Comemora-se, neste ano, os 30 anos da terceira ponte, assim batizada pelo povão desde há muito, apesar de os gestores públicos do estado terem resolvido nomeá-la como ponte “Darci Castello Mendonça”.

Foi uma justa homenagem ao grande radialista deputado Darcy Castello Mendonça e, por tabela, à valorosa raça negra capixaba, tão importante para o desenvolvimento econômico e social do nosso estado.

Ao nome de Castelo, somam-se outros igualmente valorosos como Arabelo do Rosário, Hermínio Blackman, Joaquim Beato, Albuíno Azeredo e milhares e milhares de outros negros de saudosa memória.

Além de outro, também negro, ainda vivo, de nome Willian Silva, que chegou a desembargador do Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

Na década de 1970, Willian Silva foi meu colega de trabalho na Findes, onde iniciou como estagiário de direito lotado no departamento jurídico daquele sistema, departamento então chefiado pelo professor Evandro Albuquerque.

Não adianta autoridades públicas cismarem de dar este ou aquele nome a espaços públicos se o povão já escolheu o de sua preferência.

Voltemos, no entanto, à nossa terceira ponte, cujo nome oficial dado pelo poder público é uma homenagem das mais merecidas ao colega radialista Castello Mendonça, depois eleito deputado estadual, um grande batalhador, numa e noutra condição, pela construção dessa tão importante ponte.

Na verdade tudo começou em l973, na gestão do então governador Arthur Carlos Gerhardt Santos, que levou a ideia para Brasília, lá conseguindo o indispensável apoio do governo federal durante o governo militar, mas a coisa começou a deslanchar mesmo no governo Élcio Álvares, em 1978, e a inauguração só aconteceu mesmo em agosto de 1989.

Não pretendendo entrar na questão da real paternidade (aliás, na verdade, se quisermos discutir quem foi ou é o pai da “menina”, não faltarão candidatos, sem dúvida; talvez até dê pescoções para todos os lados).

Convenhamos: uma proposta muito inteligente e de enorme visão futurista! O que era a ligação com o continente canela-verde antes e agora?

A celebração dos 30 anos da terceira ponte não pode, de jeito nenhum, ser omissa quanto ao seu nome verdadeiro, isto é, Darci Castello Mendonça, como também não se pode deixar cair no esquecimento os nomes dos governantes capixabas da época.

Alencar Garcia de Freitas

é jornalista aposentado

 

“Piotaco” do Oleari:

Não deixe de conferir o linki aí embaixo no gazetaonline. Levantei a questão e tive o apoio de 200 comentários a favor da minha defesa pela manutenção do nome de Castelo, além de mais de700 curtidas.

Deputado propõe mudar o nome da Terceira Ponte e gera reclamações na web

Após a repercussão negativa da proposta, o deputado Marcelo Santos recuou e decidiu retirar o projeto da pauta

https://www.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2017/03/deputado-propoe-mudar-o-nome-da-terceira-ponte-e-gera-reclamacoes-na-web-1014037693.html

 

Comentários