Menu

sexta, 15 de novembro de 2019

Michel Minassa Junior: A advogada e o surdo, uma questão de sigilo profissional

Uma fábula mafiosa

 

 

Um chefão da Máfia descobriu que seu contador havia desviado dez milhões de dólares do caixa.
O contador era surdo-mudo. Por isto fora admitido, pois nada poderia ouvir e em caso de um
eventual processo, não poderia depor como testemunha. Quando o chefão foi dar um arrocho nele
sobre os US$10 milhões, levou junto sua advogada, que sabia a linguagem de sinais dos surdos-
mudos.

O chefão perguntou ao contador:
– Onde estão os U$10 milhões que você levou?

A advogada, usando a linguagem dos sinais, transmitiu a pergunta ao contador que logo respondeu (em sinais):
– Eu não sei do que vocês estão falando.

A advogada traduziu para o chefão:
– Ele disse não saber do que se trata.
O mafioso sacou uma pistola 45 e encostou-a na testa do contador, gritando:
– Pergunte a ele de novo.

A advogada, sinalizando, disse ao infeliz:
– Ele vai te matar se você não contar onde está o dinheiro.
O contador sinalizou em resposta:
– OK, vocês venceram, o dinheiro está numa valise marrom de couro, que está enterrada no quintal da casa de meu primo Enzo, no nº 400 da Rua 26, quadra 8, no bairro Santa Marta!

O mafioso perguntou para advogada:
– O que ele disse?

A advogada respondeu:
– Ele disse que não tem medo de mulherzinha e que você não é macho o bastante para puxar o
gatilho.

Copigarfado de Michel Minassa Jr. no feissibuqui.

Comentários