Menu

sexta, 15 de novembro de 2019

As Certinhas do Oleari + Poesia Erótica – Rodrigo Mello Rego / A língua lambe, de Carlos Drummond de Andrade

O jornalista Rubens Pontes, em sua coluna Meu poema de sábado, já abordou o erotismo na poesia de Carlos Drummond de Andrade.

Revendo há dias sua coluna, reli “Poema de uma noite de amor.”

Que me levou a rebuscar um poema de Drummond sobre a língua.

Que deixo aí para os leitores do Portal Don Oleari (Rodrigo Mello Rego).

 

A língua lambe

Carlos Drummond de Andrade

A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.

E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,

entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos.

Carlos Drummond de Andrade BARBOSA, Rita de Cássia. Poemas eróticos de Carlos Drummond de Andrade. São Paulo: Ática,1987.

Rodrigo Mello Rego,

jornalista, pesquisador de literatura erótica

Mestrado em Letras e Artes

Comentários