Menu

tera, 29 de setembro de 2020

Don Oleari Fábulas / O velório, por Rei Andrade


Nunca contei isso a ninguém, porque achava que iam zombar de mim, mas depois de muitos anos vividos, você aprende que a vida está aí para lhe dar lições.

Quando eu tinha 12 anos meu pai me obrigou a ir em um velório de um amigo dele que eu não conhecia.

Quando chegamos là,fiquei em um canto esperando a hora de ir embora,aí um homem se aproximou de mim
e falou aproveita a vida garoto,seja feliz por que eu não aproveitei, passou a mão na minha cabeça e foi embora.

Meu pai antes de ir embora me obrigou a me despedir da pessoa morta, quando olhei no caixão me assustei era
o homem que conversava comigo no tempo em que fiquei no canto.

Passei a não conseguir dormir, tinha pavor de ficar sozinho, ia a psicólogo, não apagava a luz de noite….

Anos depois descobri algo incrivel que mudou minha vida.

Aquele morto fdp du karaio tinha um irmão gêmeo.

Rei Andrade

é multimidia

Comentários