Menu

quarta, 30 de setembro de 2020

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado – Encanto Feminino, de Rubem Fonseca

Abordagens de áreas que se conflitam, paisagens que não se encontram, diferentes mergulhos na alma humana,e ainda assim dois dos maiores escritores brasileiros que iluminaram e deram internacional projeção à inteligência criativa da literatura mundial.

Ambos mineiros, Guimarães Rosa (à direita) deixou Cordisburgo para penetrar no áspero sertão das Gerais para criar obras primas, como “Grande Serão, Veredas”.

Rubem Fonseca se deslocou Juiz de Fora muito cedo para o Rio de Janeiro, onde se inspirou no seu cotidiano urbano para escrever livros como “Agosto”, narrativa das conspirações que levaram ao suicídio o presidente Getúlio Vargas.

No Rio de Janeiro, Rubem Fonseca (às esquerda) se formou em Direito e, como Comissário de Polícia, foi responsável pela área de Relações Públicas da Corporação.

Foi como escritor, no entanto, que teve seu nome reconhecido e admirado. Escreveu 12 livros, dezenas de contos, agraciado com seis Prêmios Jabuti,com Prêmio de Literatura Latino-Americana,
Prêmio de Literatura Ibero-Americana, Prêmio Machado de Assis, vencedor do Prêmio Camões, a maior honraria concedida a autores da língua portuguesa.

Rubem Fonseca, que apoiou o golpe militar de 64, teve mais tarde, em 1976, seu livro “Feliz Ano Novo” proibido de circular por decisão do ministro da Justiça do governo militar, Armando |Falcão.

Rubem Fonseca, que morreu semana passada, pouco antes de completar 94 anos, fez, como Guimarães Rosa, incursões no campo da poesia.

Portal Do Oleari e o colunista rendem homenagem ao grande escritor brasileiro, pinçando um dos seus raros poemas, escolhido para leitura neste sábado: ENCANTO FEMININO.

Rubens Pontes
Capim Branco, MG

Encanto Feminino”

Rubem Fonseca

Continuo sensível ao encanto feminino.
Continuo gostando de sapos.
Mas dentro de casa não tenho
Nem mulher nem sapo.
Tenho livros. Tenho garfos e facas.
Tenho sapatos. O sapato que eu uso foi comprado
Há mais de 15, quinze, repito quinze, anos.
Isto é uma poesia, fiquem sabendo.
Um sujeito disse que poesia é
Aquilo que se perde na tradução.
Eu digo que poesia é o que cada um acha que é poesia.
Achar as mulheres lindas é poesia.
Tenho dito.

Rubens Fontes é jornalista

De Capim Branco, MG.

– Passos, saltos & queda – Linki pra ler Passos, Saltos & Quedas, de Rubens Pontes.
http://online.anyflip.com/mitk/xjqj/mobile/index.html?fbclid=IwAR39mt-wlzHGKBAeTSG7cZOD4etEr38ocVyHkE-rPKkwvhpfI8qfvf7khLE#p=10

Comentários