Menu

sbado, 31 de outubro de 2020

Aqui Rubens Pontes: Meus poemas de sábado – Acontecimento, Vinicius de Moraes

 

PORTAL DON OLEARI REVELA E PUBLICA O ÚLTIMO E INÉDITO POEMA DE VINICIUS DE MORAES

 

Marcus Vinicius de Moraes. Ou Vinicius de Moraes, nome com que se imortalizou com os versos de “Garota de Ipanema”, composição musical em parceria com Tom Jobim. A canção teve mais de 500 interpretações, número só menor do que as de “Yesterday”, dos Beatles.

Sobre o poeta, dramaturgo, jornalista, compositor e diplomata – a História registra sua escolaridade no Colégio Santo Inácio, sua diplomação na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, e sua formação na Universidade de Oxford, USA.

Vinicius, entre os escritores Rubem Braga e Ferreira Gullar, conversa com o poeta chileno Pablo Neruda (D), um dos seus amigos da época em que vivia em Paris como diplomata (foto: Augusto Corsino/O Cruzeiro/EM – Setembro/69).

 Diplomata concursado no Itamaraty, aos 29 anos de idade foi vice-cônsul em Los Angeles, mais tarde secretário da Embaixada na França e no Uruguai.

“Fotogarfada” pelo Oleari de uma crônica da Ana Laura Nahas. Da esquerda pra direita, saxofonista Moacir Barros, Luis Paixão, não tenho o nome da moça, Vinícius, Cariê – Carlos Lindenbergh Filho – e Marinho Nogueira.

Em 1969, foi cassado pelo AI-5 do governo militar, “por conduta incompatível com o decoro da carreira diplomática”.

Já era, então, o poeta e compositor que ganhava largos espaços nos meios artísticos do Rio de Janeiro e do Brasil, e depois iria conquistar o mundo….

(Registra o Portal: mais de 40 anos depois da cassação e 30 depois de sua morte, Vinicius de Moraes foi agraciado pelo Governo brasileiro com uma inédita promoção, post-mortem, a Embaixador).

Boêmio, fumante, amante do uísque e de mulheres – casou-se 9 vezes – Vinicius de Moraes era frequentador assíduo do bar Vilarinho, na Rua Calógeras, no Rio de Janeiro, e foi lá, entre uma dose e outra de uísque, que o imprevisível destino o aproximou de Tom Jobim.

A parceria que ali nasceu, entre o poeta e o compositor, gerou a trilha sonora de “Orfeu da Conceição”.

Mais de uma vez os frequentadores do Bar Vilarinho puderam deparar-se com uma côrte inimaginável – numa mesma mesa, Vinicius de Moraes, Cândido Portinari, Oscar Niemeyer, Rubem Braga, Lúcio Costa, a cantora Aracy de Almeida, o arquiteto Carlos Leão….

Uma academia de talentos abrangendo as mais fascinantes áreas da inteligência brasileira. Impossível de se repetir no tempo. Nem na ABL.

Neste sábado ensolarado e colorido do mês dos ipês, o Portal Don Oleari e o colunista rendem sua homenagem ao gênio que afirmou “ser feliz é viver morto de paixão”, publicando o último poema criado e deixado inédito por Vinicius de Moraes.

“Acontecimento” era destinado a uma publicação da revista Veja, “Reflexões para o Futuro”, a ser editada em 1993..

Um privilégio para o Portal e para os que leem esta Coluna.

Rubens Pontes
Capim Branco, MG

ACONTECIMENTO

Vinicius de Moraes

Haverá na face de todos um profundo assombro
E na face de alguns risos sutis cheios de reserva.
Muitos se reunirão em lugares desertos
E falarão em voz baixa em novos possíveis milagres.
Como se o milagre estivesse realmente se realizado.
Muitos sentirão alegria
Porque deles é o primeiro milagre.
E darão o óbolo do fariseu com ares humildes.
Muitos não compreenderão
Porque suas inteligências vão somente até os processos
E já existem nos processos tantas dificuldades…
Alguns verão e jugarão com a alma
Outros verão e julgarão com a alma que eles não têm.
Ouvirão apenas dizer…

Será belo e ridículo.

Haverá quem mude como os ventos.

E haverá quem permaneça na pureza dos rochedos
No meio de todos eu ouvirei calado e atento, comovido e risonho
Escutando verdades e mentiras.

Mas não dizendo nada

Só a alegria de alguns compreenderem bastará
Porque tudo aconteceu para que eles compreendessem
Que as águas mais turvas contém às vezes as pérolas mais belas

Comentários